Aguarde...

WWF-Brasil realiza workshop sobre MDL em São Paulo




Especialistas em Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) estarão reunidos nos dias 7 e 8 de dezembro, na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, para participar do primeiro workshop sobre como obter a certificação Gold Standard em projetos de MDL no Brasil.  

No Brasil, ainda não há projetos certificados pelo selo. Por isso, o WWF-Brasil, em parceria com o IT Power, a Fundação Gold Standard e o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV-CES) estão realizando o treinamento em São Paulo. Além da divulgação do selo, o objetivo é também chamar a atenção para o potencial brasileiro de obter esta certificação. Durante esses dois dias, alguns projetos selecionados receberão consultoria para adotar a metodologia proposta.

O objetivo principal dos projetos de MDL é reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa. Mas, para compreender melhor o que isso significa é preciso voltar ao ano de 1997, quando a comunidade internacional fechou um acordo para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa, o Protocolo de Quioto. Neste mecanismo da Convenção do Clima, os países desenvolvidos têm até 2012 para reduzir suas emissões em 5,2% tomando como base o ano de 1990. Além de cortar localmente suas emissões, os países desenvolvidos podem também comprar uma parcela de suas metas em créditos de carbono gerados em projetos em outros países. A Implementação Conjunta garante créditos obtidos de países desenvolvidos e o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) permite que estes créditos venham de países em desenvolvimento, como o Brasil.

O MDL é visto com grande interesse pelo Brasil, pois além de incentivar a implantação de projetos que reduzem as emissões dos gases do efeito estufa, colabora com o desenvolvimento sustentável. A principal vantagem para os países desenvolvidos é a possibilidade de atingirem suas metas com menores custos, pois reduzir uma tonelada de carbono em países em desenvolvimento custa mais menos do que em países desenvolvidos.

É aí que o Brasil, hoje em segundo lugar em número de projetos de MDL no mundo, pode fazer a diferença. O imenso potencial brasileiro de produzir energia sustentável poderia se traduzir em reduções de nossas emissões de gases do efeito estufa. O estudo “Agenda Elétrica Sustentável 2020”, do WWF-Brasil e parceiros, lançado em setembro deste ano, aponta para um potencial de redução de até 413 milhões de toneladas de CO2 acumuladas durante o período de 2004 a 2020 só com a geração elétrica sustentável.

Entretanto, as regras do MDL para o quesito desenvolvimento sustentável podem ser demasiadamente flexíveis, variando de país para país. Para auxiliar as autoridades nacionais com critérios e garantir ganhos concretos em desenvolvimento sustentável, várias organizações não governamentais de renome internacional, dentre elas a rede WWF, se reuniram e desenvolveram a certificação independente Gold Standard: um selo de garantia das melhores práticas em projetos de MDL.

São elegíveis para a certificação Gold Standard apenas projetos de energias renováveis e eficiência energética, pois garantem o benefício ambiental de longo prazo ao país sede e ao clima do planeta. Em suma, o Gold Standard, hoje apoiado por 42 ONGs, é semelhante a outras certificações ambientais: mostra aos compradores, aos investidores, ao governo e à sociedade que os projetos garantidos pelo selo possuem clara preocupação com o meio ambiente e com o desenvolvimento sustentável.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Organizações sociais do Rio Negro cobram a criação da Resex Baixo Rio Branco-Jauaperi
Organizações sociais do Rio Negro cobram a criação da Resex Baixo Rio Branco-Jauaperi
Novo Código Florestal ameaça biodiversidade
Novo Código Florestal ameaça biodiversidade
Problemas com o batelão Maria Clarini
Problemas com o batelão Maria Clarini
Parceria inédita entre Acre e o Sabá, na Malásia, é apresentada na Rio+20
Parceria inédita entre Acre e o Sabá, na Malásia, é apresentada na Rio+20
Pecuaristas orgânicos do Pantanal criam protocolo com critérios produtivos e socioambientais
Pecuaristas orgânicos do Pantanal criam protocolo com critérios produtivos e socioambientais
Fotógrafo parceiro do WWF-Brasil ganha prêmio internacional
Fotógrafo parceiro do WWF-Brasil ganha prêmio internacional
Conselho diz não a barramentos do Rio Carinhanha
Conselho diz não a barramentos do Rio Carinhanha
Hora do Planeta pelo mundo: Greenpeace, Microsoft sueca e Manchester United
Hora do Planeta pelo mundo: Greenpeace, Microsoft sueca e Manchester United
ONU oficializa Ano Internacional da Biodiversidade
ONU oficializa Ano Internacional da Biodiversidade
Pegada Ecológica de Campo Grande é tema das Quartas Sustentáveis
Pegada Ecológica de Campo Grande é tema das Quartas Sustentáveis
Desmatamento: WWF-Brasil vê necessidade de maior rigor no controle
Desmatamento: WWF-Brasil vê necessidade de maior rigor no controle
Seminário discute ações em defesa das cabeceiras do Pantanal
Seminário discute ações em defesa das cabeceiras do Pantanal
Espécies usadas para alimentação ou medicamento correm mais risco de extinção
Espécies usadas para alimentação ou medicamento correm mais risco de extinção
Especialistas definem plano de ação para salvar araras-azuis
Especialistas definem plano de ação para salvar araras-azuis
Brasil pode regredir em proteção ambiental
Brasil pode regredir em proteção ambiental
Vale do Itajaí: crônica da omissão continuada
Vale do Itajaí: crônica da omissão continuada
PRIMATAS: Nova espécie de macaco é tombada no Museu Emílio Goeldi, em Belém (PA)
PRIMATAS: Nova espécie de macaco é tombada no Museu Emílio Goeldi, em Belém (PA)
Seminário discute a integração de instrumentos de gestão territorial em áreas protegidas
Seminário discute a integração de instrumentos de gestão territorial em áreas protegidas
WWF-Brasil pede ao governo brasileiro que se empenhe nas negociações de clima
WWF-Brasil pede ao governo brasileiro que se empenhe nas negociações de clima
Intercâmbio promove práticas agrícolas sustentáveis no Acre
Intercâmbio promove práticas agrícolas sustentáveis no Acre