Aguarde...

WWF-Brasil elogia estudo de clima lançado pelo Ministério do Meio Ambiente




O WWF-Brasil considerou positiva a divulgação, nesta terça-feira, 27 de fevereiro, das principais projeções do estudo "Mudanças Climáticas e seus Efeitos na Biodiversidade Brasileira" pelo Centro de Previsões de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE).

Segundo o documento, secas inesperadas, chuvas em excesso, terra onde antes era mar e mar onde antes era terra. O descontrole do clima já é evidente em vários locais do planeta. No Brasil, assim como em várias partes do mundo, ainda é difícil saber quais serão as áreas mais afetadas pelo aquecimento global.

"O lançamento deste documento pelo governo federal é um marco importante pois posiciona o Brasil entre as nações que desejam fazer a diferença quando se trata de melhorar a qualidade da vida no planeta", afirma Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil. "Para um país que possui uma rica biodiversidade como o nosso, é fundamental saber onde os efeitos do aquecimento global serão sentidos para minimizar os impactos e organizar a sociedade para lidar melhor com essas questões", conclui Denise Hamú.

Segundo a pesquisa, a Amazônia deve enfrentar períodos de seca mais prolongados e a temperatura da região pode subir até 8º C. Com isso, a incidência de doenças típicas de ambientes mais quentes como malária, dengue e febre amarela tende a aumentar. No Pantanal, as projeções mostram o clima mais seco e o ecossistema corre o risco de ser descaracterizado e algumas espécies, que hoje são abundantes, podem se tornar raras.

Para que os efeitos das mudanças climáticas sejam minimizados, é preciso que a humanidade diminua a emissão de gases de efeito estufa, principalmente os resultantes da queima de combustíveis fósseis e o desmatamento. O planeta se aquece porque a capacidade de absorção da Terra é menor que a quantidade de gases lançados no ar. Assim, eles ficam na atmosfera e formam uma espécie de cobertor cada dia mais espesso que torna o planeta cada vez mais quente e não permite a saída de radiação solar.

Passaporte Panda

O WWF-Brasil está fazendo uma ação de mobilização da sociedade brasileira pedindo que o Plano Nacional de Energia 2030 mantenha a matriz elétrica do Brasil limpa e aplique técnicas de eficiência energética para diminuir a demanda por eletricidade.
O maior vilão das mudanças climáticas no mundo é o setor de energia, responsável por 37% de todas as emissões de gás carbônico, o que significa 23 bilhões de toneladas de CO2 por ano, mais de 700 toneladas por segundo.

Por enquanto, a matriz energética brasileira é considerada uma das mais limpas do planeta. Apesar de o país estar em 4º lugar no ranking mundial dos emissores de gases do efeito estufa, 75% desta poluição vêm do desmatamento e não da produção energética. O Brasil ainda tem servido de exemplo para outros países no que diz respeito às emissões derivadas da queima de combustíveis fósseis.

"Esta posição brasileira deve ser mantida para que a produção de energia, tão necessária ao desenvolvimento do país, não se torne também uma fonte poluidora com efeitos desastrosos no futuro", afirma a secretária-geral do WWF-Brasil. "Com vento em abundância, muita matéria-prima para produzir biomassa, sol à vontade e enorme potencial para reduzir desperdícios por meio da eficiência energética, o Brasil merece continuar servindo de modelo", completa.

Em setembro de 2006, o WWF-Brasil e parceiros lançaram o estudo Agenda Elétrica Sustentável 2020. A pesquisa indica uma série de medidas que se forem implantadas pelo governo brasileiro devem gerar economia de R$ 33 bilhões em investimentos, geração de oito milhões de empregos, diminuição do desperdício de energia em até 38% da expectativa de demanda e estabilização das emissões dos gases causadores do efeito estufa e vai afastar o fantasma de novos apagões.

Participe!


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Relator deve apresentar proposta de mudanças no Código Florestal esta semana
Relator deve apresentar proposta de mudanças no Código Florestal esta semana
Projeto do IR Ecológico é aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados
Projeto do IR Ecológico é aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados
Juazeiro do Norte, terra de Padre Cícero, de novo presente na Hora do Planeta
Juazeiro do Norte, terra de Padre Cícero, de novo presente na Hora do Planeta
Mais pressão contra reforma precária do Código Florestal
Mais pressão contra reforma precária do Código Florestal
Mais impulso à iniciativa particular de conservação
Mais impulso à iniciativa particular de conservação
Nota pública: Código Florestal, Desmatamento Zero e competividade agrícola
Nota pública: Código Florestal, Desmatamento Zero e competividade agrícola
Corredor ecológico ajuda a diminuir conflitos fundiários
Corredor ecológico ajuda a diminuir conflitos fundiários
Estação Ecológica de Águas Emendadas lança Almanaque de Educação Ambiental
Estação Ecológica de Águas Emendadas lança Almanaque de Educação Ambiental
Mudanças climáticas e energia: WWF-Brasil lança ação de cyberativismo
Mudanças climáticas e energia: WWF-Brasil lança ação de cyberativismo
Brasileiros em defesa das florestas no Dia da Terra
Brasileiros em defesa das florestas no Dia da Terra
Permitir cana na Amazônia é retrocesso político e ambiental
Permitir cana na Amazônia é retrocesso político e ambiental
BB suspende crédito para soja em área desmatada na Amazônia
BB suspende crédito para soja em área desmatada na Amazônia
Semana do Meio Ambiente termina com propostas e soluções no Rio de Janeiro
Semana do Meio Ambiente termina com propostas e soluções no Rio de Janeiro
Congresso trará novidades e possibilidade de negócios no setor de Eficiência e Co-geração de Energia
Congresso trará novidades e possibilidade de negócios no setor de Eficiência e Co-geração de Energia
O G20 e o clima
O G20 e o clima
Descobertas na Amazônia são extraordinárias: na última década, novas espécies foram encontradas a cada três dias
Descobertas na Amazônia são extraordinárias: na última década, novas espécies foram encontradas a cada três dias
Expedição desvenda área úmida na Amazônia
Expedição desvenda área úmida na Amazônia
IR Ecológico será debatido em Manaus
IR Ecológico será debatido em Manaus
Fotógrafos de natureza: profissionais que também compõem os doze anos de história do WWF-Brasil
Fotógrafos de natureza: profissionais que também compõem os doze anos de história do WWF-Brasil
Belo Horizonte recebe Exposição Itinerante WWF-Brasil
Belo Horizonte recebe Exposição Itinerante WWF-Brasil