Aguarde...

Vaga: Especialista em Energia e Desenvolvimento Hidroelétrico Sustentável




O WWF-Brasil, organização não-governamental autônoma dedicada à conservação da natureza, está recrutando profissional para o escritório de Brasília-DF para a posição de:

01. Título: Especialista em Energia e Desenvolvimento Hidroelétrico Sustentável Iniciativa Amazônica da Rede WWF

02. Supervisor direto: Coordenador de Infra-Estrutura da Iniciativa Amazônica da Rede WWF

03. Local do Trabalho: Sediado (a) no escritório de Brasília – DF

04. Campo de Atuação:
O desenvolvimento de infra-estrutura hídrica na Amazônia representa uma questão de importância crescente para os países amazônicos: de acordo com o Plano Nacional de Energia 2030, aproximadamente 70% da geração hidroelétrica necessária para atender a demanda energética brasileira das próximas décadas (ca. 60,000 MW) teria que vir de rios amazônicos. Planos e números similares se aplicam também ao Equador e Perú. Para o caso da Bolívia, que comparte com o Brasil e Perú boa parte da bacia internacional do Rio Madeira, além das usinas já em processo adiantado de licenciamento e iniciando construção, pelo menos outra hidroelétrica boliviana, Cachoeira Esperança, vem sendo objeto de um estudo de viabilidade no contexto do chamado complexo hidroelétrico do Madeira, que representa o maior investimento da iniciativa l de integração física da América do Sul (www.iiirsa.org).

Considerando-se que as prioridades dominantes são de caráter estratégico e economico em um cenário de expansão ceteris paribus, isto é, a busca de auto-suficiência e segurança energética nacional com pouca prioridade para o gerenciamento da demanda, a probabilidade de implementação de grandes projetos hidroelétricos “limpos” na Amazônia é relativamente alta. Entretanto, dadas as preocupações crescentes com os potenciais impactos climáticos na Amazônia, as consequências de tais grandes investimentos na indução de novas fronteiras de desmatamento e a necessidade de se elencar estratégias regionais de adaptação, qualquer desenvolvimento hidroelétrico na Amazônia, tratado de forma isolada e usual, continuará sendo uma questão controvertida e polêmica.

Portanto, faz-se necessário discutir a exploração do potencial hidroelétrico da região amazônica de uma forma mais abrangente e com um horizonte mais longo em um cenário de impactos cumulativos de uma política regional e não caso a caso, sob a pressão de um planejamento e de interesses de curto e médio-prazo, onde a única alternativa ao “não fazer” seria outro apagão. Além disso, é preciso se investir de forma mais consistente e duradoura em conservação, eficiência e flexibilização das matrizes energéticas dos países amazônicos. Mas, é muito provável que a despeito de todos estes necessários esforços, algum nível significativo de desenvolvimento hidroelétrico na Pan-amazônia deva ser prioritário. Nesse contexto, é imperativo que tal desenvolvimento considere medidas de adaptação e mitigação às mudanças climáticas e de proteção à biodiversidade amazônica e que sejam assegurados os direiros das comunidades indígenas e tradicionais.

05. Atribuições principais:
• Coordenar o desenvolvimento de uma estratégia e de um programa de trabalho para introduzir boas práticas no desenvolvimento sustentável da hidroeletricidade na Pan-Amazônia, com ênfase na Amazônia Brasileira.

• Atuar junto a sócios e especialistas e outros interessados em promover princípios de sustentabilidade no desenvolvimento hidroelétrico na Amazônia, incluindo aprimoramento das políticas energéticas e práticas corporativas.

• Desenvolver posições e textos de posicionamento em desenvolvimento hidroelétrico sustentável, assim como, auxiliar na confecção de material de comunicação para tomadores de decisão.

• Interagir com a iniciativa amazônica da rede WWF e com o programa global de represas para sistematizar lições aprendidas e boas práticas no contexto global e regional.

05. Qualificações e Habilidades Mínimas:
• Graduação em Engenharia Civil ou Elétrica;
• Pós-graduação nas áreas de Biologia, Ecologia, Geografia, Limnologia, Engenharia Ambiental ou Hidrologia;
• 07 anos de experiência na área;
• Fluência oral e escrita na língua inglesa;

• Experiência em programas envolvendo planejamento energético com foco em questões de desenvolvimento social e ambiental;
• Conhecimento profundo do setor de geração hidroelétrica no Brasil ou preferencialmente regional (Pan-Amazonia) no nível de políticas, planos e projetos;
• Conhecimento da política energética brasileira e preferencialmente regional (Pan-Amazonia);
• Conhecimento de políticas e práticas de conservação e eficiência energética preferencialmente no contexto de mudanças climáticas;
• Liderança e habilidade para trabalhar de forma independente em um ambiente inter-disciplinário;
• Capacidade de captar e compartilhar conhecimentos, idéias e informações com objetividade e clareza (oral e escrita);
• Iniciativa, dinamismo, criatividade e pontualidade nos compromissos;
• Capacidade de inovação no desenvolvimento dos projetos e resolução de problemas;
• Capacidade de utilizar softwares e equipamentos necessários para o bom desempenho da função;
• Habilidade de facilitar e intermediar discussões, debates, negociações e resolução de conflitos envolvendo agencias governamentais, centros de estudos e pesquisas, ONG e indústria;
• Capacidade de contornar situações adversas com diplomacia, mantendo a calma;
• Forte senso de organização;
• Capacidade de maximizar a utilização dos recursos disponíveis;
• Bom relacionamento interpessoal, visando um eficiente trabalho em equipe;
• Capacidade gerencial, estratégica e empreendedora preferencialmente no setor ambiental;
• Capacidade de planejar e priorizar ações;
• Capacidade de identificar oportunidades e gerar ações de impacto.

5.1. Outras Especificações Desejáveis:

• Mestrado e/ou Doutorado em assunto correlato;
• Experiência e vivência internacional – experiência de trabalho na área afim em outros países;
• Fluência oral e escrita na língua espanhola.

5.2 Importante:
• Disponibilidade para viajar a trabalho.

06. Relacionamento no trabalho:

6.1 Público Interno:
• Equipe multi-disciplinar e multi-nacional no contexto Pan-amazônico.

6.2 Público Externo:
• ONGs, agencias governamentais, centros de estudos e pesquisas e indústria de âmbito Pan-amazônico.

07. Regime de Contratação e Benefícios
Contratação em regime CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas).
Benefícios incluem: seguro saúde, seguro de vida, auxílio odontológico e ticket alimentação/refeição. Salário compatível com o cargo, formação profissional e experiência de trabalho.

08. Documentação solicitada
• Currículo resumido contendo 2 referências profissionais com telefone e pretensão salarial;
• Carta de apresentação de, no máximo, 2 páginas informando:
• Por que gostaria de trabalhar no WWF-Brasil e como poderia contribuir com a sua missão.

09. Prazo para envio de documentação
Os documentos deverão estar no WWF-Brasil até o dia 30 de março de 2009.

10. Endereço para envio de documentação
• Endereço postal:

WWF-Brasil
Seleção de Especialista em Energia - Iniciativa Amazônica
SHIS QL 6/8 Conjunto “E” Térreo
CEP 71620-430 – Brasília – DF


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (0)

Álbum de fotos (0)

Marcadores

Comentários



Estudantes do DF se mobilizam antes da votação do Código Florestal
Estudantes do DF se mobilizam antes da votação do Código Florestal
Apenas fundo voluntário não basta para deter o desmatamento
Apenas fundo voluntário não basta para deter o desmatamento
IR Ecológico será debatido em Campo Grande
IR Ecológico será debatido em Campo Grande
NÓS E O CLIMA: Sentindo os efeitos da cheia
NÓS E O CLIMA: Sentindo os efeitos da cheia
Sustentabilidade planetária, onde eu entro nisso?
Sustentabilidade planetária, onde eu entro nisso?
Dia Internacional da Limpeza da Água
Dia Internacional da Limpeza da Água
Estado do Acre aprova política inédita de incentivos ambientais
Estado do Acre aprova política inédita de incentivos ambientais
Movimento estudantil presente contra mudanças no Código Florestal
Movimento estudantil presente contra mudanças no Código Florestal
Permitir cana na Amazônia é retrocesso político e ambiental
Permitir cana na Amazônia é retrocesso político e ambiental
ARTIGO: A natureza merece esse estímulo
ARTIGO: A natureza merece esse estímulo
"Projeto de reforma do Código Florestal é uma bomba de carbono"
"Projeto de reforma do Código Florestal é uma bomba de carbono"
Negociações do protocolo de ABS prometem gerar polêmica na COP 10
Negociações do protocolo de ABS prometem gerar polêmica na COP 10
WWF-Brasil abre debate sobre estudo da expansão da cana-de-açúcar
WWF-Brasil abre debate sobre estudo da expansão da cana-de-açúcar
Parceiros promovem oficinas preparatórias com diferentes setores
Parceiros promovem oficinas preparatórias com diferentes setores
WWF-Brasil realiza workshop sobre MDL em São Paulo
WWF-Brasil realiza workshop sobre MDL em São Paulo
80 mil marcham por um mundo melhor
80 mil marcham por um mundo melhor
Expectativa de mudança no Código gera desmatamento recorde no Mato Grosso
Expectativa de mudança no Código gera desmatamento recorde no Mato Grosso
Hora do Planeta em todas as regiões do Brasil
Hora do Planeta em todas as regiões do Brasil
Pecuária orgânica do Pantanal é apresentanda em workshop sobre pecuária sustentável
Pecuária orgânica do Pantanal é apresentanda em workshop sobre pecuária sustentável
Resta salvar o planeta do julgamento da História
Resta salvar o planeta do julgamento da História