Aguarde...

Site tem versão brasileira do sistema de hospedagem colaborativa


O projeto “Fica lá em casa” é uma versão nacional dos sistemas de hospedagem colaborativa, já bastante populares no exterior. Anfitriões e hóspedes se cadastram no empreendimento digital, como é chamado o negócio, e agendam os períodos em que vão ficar nos espaços disponibilizados por proprietários de casas e imóveis.

O preço das diárias é combinado entre eles e o site é remunerado pelo hóspede (12%) e anfitrião (3%), de acordo com o valor. A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata do que em hotéis e pousadas. Serviços como café da manhã, acesso à internet, lavanderia, entre outros também podem entrar na negociação.

O empreendimento digital “Fica lá em casa” está no mercado há apenas dez meses e já possui 180 espaços cadastrados, principalmente na cidade do Rio de Janeiro e na capital paulista. Entre eles, há quartos, suítes, casas na praia ou de campo, quintais e até sofá na sala do anfitrião cadastrado. Cinquenta e cinco por cento são casas e 45%, espaços ociosos.

Até o momento, a maioria dos hóspedes inscritos no programa é formada por brasileiros. A internacionalização da clientela deverá ocorrer, a partir do próximo ano, segundo Leandro Pinheiro, diretor do empreendimento digital.  “No consumo colaborativo a posse é substituída pelo uso compartilhado, evitando a exploração de recursos naturais”, explica.

A construção de novos hotéis e pousadas significa pegadas ecológicas enormes. A construção civil é responsável por 40% dos impactos ambientais no planeta, lembra o empresário.

Ganho cultural

Além do aspecto ambiental, Pinheiro destaca que a hospedagem colaborativa é vantajosa em termos culturais para ambos os lados. O anfitrião propicia experiência inédita ao hóspede, que pode conhecer a rotina de um lar brasileiro. Além da renda extra, a convivência com o turista de outra região ou país poderá significar ganho cultural para o anfitrião.

Desde o lançamento do empreendimento digital, o número de espaços cadastrados cresceu 120%. Eles estão nas regiões sudeste, sul, nordeste e centro oeste. O Rio é destino campeão.  A maioria dos hóspedes está na faixa etária próxima de 30 anos e são universitários. Há, também, pessoas com cerca de 50 anos, que gostam da proposta da hospedagem colaborativa.

A meta do empreendimento digital é aumentar o número de cadastrados em 200%, até o próximo ano. A segurança do anfitrião e do hóspede é a grande preocupação do negócio. Comunidades com perfis e afinidades começarão a ser construídas no site por meio de técnicas, que minimizarão problemas, diz o empresário. O depósito das diárias é realizado 24 horas antes da hospedagem e, caso a estrutura não agrade ao hóspede, o dinheiro é devolvido.

A validação da reserva é feita por meio do perfil no Facebook, Twitter e Pay Pall.  Anfitriões e espaços recebem notas no site e geram reputação na internet. O termo de uso é assinado e validado por meio de celular e via correio.

Assista ao vídeo abaixo para entender como funciona o “Fica lá em casa”: 
 

Da Agência Sebrae


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Mexicanos distribuem água do mar filtrada para agricultores de região seca
Mexicanos distribuem água do mar filtrada para agricultores de região seca
Bexigas poderão produzir energia para 4,5 mil residências em Nova Iorque
Bexigas poderão produzir energia para 4,5 mil residências em Nova Iorque
80% do esgoto da Índia vai para os rios sem tratamento
80% do esgoto da Índia vai para os rios sem tratamento
Faber-Castell e Terracycle lançam promoção "Faxina nos Armários" para estudantes
Faber-Castell e Terracycle lançam promoção "Faxina nos Armários" para estudantes
Brasileiro cria turbina eólica de eixo vertical altamente eficiente
Brasileiro cria turbina eólica de eixo vertical altamente eficiente
Galpão abandonado vira escritório de vidro em Amsterdã
Galpão abandonado vira escritório de vidro em Amsterdã
Teresina aprova criação de disque maus tratos aos animais
Teresina aprova criação de disque maus tratos aos animais
Xangai aposta em óleo de cozinha para abastecer transporte público
Xangai aposta em óleo de cozinha para abastecer transporte público
"Abraço é bom para todo o mundo"
"Abraço é bom para todo o mundo"
Finlândia constrói navio ecológico com capacidade para quase 3 mil pessoas
Finlândia constrói navio ecológico com capacidade para quase 3 mil pessoas
Oi e Descarte Certo lançam fábrica de reciclagem de lixo eletroeletrônico no RS
Oi e Descarte Certo lançam fábrica de reciclagem de lixo eletroeletrônico no RS
Sistema de irrigação movido a energia solar é criado para agricultores de baixa renda
Sistema de irrigação movido a energia solar é criado para agricultores de baixa renda
Bicicleta elétrica com design de moto tem autonomia de 320 km
Bicicleta elétrica com design de moto tem autonomia de 320 km
Vila Madalena ganha paraciclos para estimular o uso da bike como meio de transporte
Vila Madalena ganha paraciclos para estimular o uso da bike como meio de transporte
Poluição do ar em São Paulo seria 30% maior se metrô não existisse, sugere estudo
Poluição do ar em São Paulo seria 30% maior se metrô não existisse, sugere estudo
Bike entrega é opção para reduzir congestionamento em grandes cidades
Bike entrega é opção para reduzir congestionamento em grandes cidades
Adolescentes que vão a pé para a escola têm notas mais altas
Adolescentes que vão a pé para a escola têm notas mais altas
Casal dá volta ao mundo com veículo movido a óleo de cozinha
Casal dá volta ao mundo com veículo movido a óleo de cozinha
Brasil consegue apoio de 120 países para coibir comércio de animais em extinção
Brasil consegue apoio de 120 países para coibir comércio de animais em extinção
Prefeitura do Rio vai multar quem jogar lixo nas ruas
Prefeitura do Rio vai multar quem jogar lixo nas ruas