Aguarde...

Site tem versão brasileira do sistema de hospedagem colaborativa


O projeto “Fica lá em casa” é uma versão nacional dos sistemas de hospedagem colaborativa, já bastante populares no exterior. Anfitriões e hóspedes se cadastram no empreendimento digital, como é chamado o negócio, e agendam os períodos em que vão ficar nos espaços disponibilizados por proprietários de casas e imóveis.

O preço das diárias é combinado entre eles e o site é remunerado pelo hóspede (12%) e anfitrião (3%), de acordo com o valor. A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata do que em hotéis e pousadas. Serviços como café da manhã, acesso à internet, lavanderia, entre outros também podem entrar na negociação.

O empreendimento digital “Fica lá em casa” está no mercado há apenas dez meses e já possui 180 espaços cadastrados, principalmente na cidade do Rio de Janeiro e na capital paulista. Entre eles, há quartos, suítes, casas na praia ou de campo, quintais e até sofá na sala do anfitrião cadastrado. Cinquenta e cinco por cento são casas e 45%, espaços ociosos.

Até o momento, a maioria dos hóspedes inscritos no programa é formada por brasileiros. A internacionalização da clientela deverá ocorrer, a partir do próximo ano, segundo Leandro Pinheiro, diretor do empreendimento digital.  “No consumo colaborativo a posse é substituída pelo uso compartilhado, evitando a exploração de recursos naturais”, explica.

A construção de novos hotéis e pousadas significa pegadas ecológicas enormes. A construção civil é responsável por 40% dos impactos ambientais no planeta, lembra o empresário.

Ganho cultural

Além do aspecto ambiental, Pinheiro destaca que a hospedagem colaborativa é vantajosa em termos culturais para ambos os lados. O anfitrião propicia experiência inédita ao hóspede, que pode conhecer a rotina de um lar brasileiro. Além da renda extra, a convivência com o turista de outra região ou país poderá significar ganho cultural para o anfitrião.

Desde o lançamento do empreendimento digital, o número de espaços cadastrados cresceu 120%. Eles estão nas regiões sudeste, sul, nordeste e centro oeste. O Rio é destino campeão.  A maioria dos hóspedes está na faixa etária próxima de 30 anos e são universitários. Há, também, pessoas com cerca de 50 anos, que gostam da proposta da hospedagem colaborativa.

A meta do empreendimento digital é aumentar o número de cadastrados em 200%, até o próximo ano. A segurança do anfitrião e do hóspede é a grande preocupação do negócio. Comunidades com perfis e afinidades começarão a ser construídas no site por meio de técnicas, que minimizarão problemas, diz o empresário. O depósito das diárias é realizado 24 horas antes da hospedagem e, caso a estrutura não agrade ao hóspede, o dinheiro é devolvido.

A validação da reserva é feita por meio do perfil no Facebook, Twitter e Pay Pall.  Anfitriões e espaços recebem notas no site e geram reputação na internet. O termo de uso é assinado e validado por meio de celular e via correio.

Assista ao vídeo abaixo para entender como funciona o “Fica lá em casa”: 
 

Da Agência Sebrae


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Toyota abre inscrições para programa de patrocínio a atividades ambientais
Toyota abre inscrições para programa de patrocínio a atividades ambientais
Bahia incentiva descarte correto de remédios em farmácias
Bahia incentiva descarte correto de remédios em farmácias
Unesp testa eficácia e segurança de 20 plantas medicinais
Unesp testa eficácia e segurança de 20 plantas medicinais
Mineirão é inaugurado com usina fotovoltaica
Mineirão é inaugurado com usina fotovoltaica
Praia Grande estuda projetos de incentivo à bicicleta
Praia Grande estuda projetos de incentivo à bicicleta
Vigilante do DF transforma sucata em réplicas
Vigilante do DF transforma sucata em réplicas
Autoridade olímpica visita Baía de Guanabara e critica qualidade da água
Autoridade olímpica visita Baía de Guanabara e critica qualidade da água
Grupo em SP realiza intervenção artística em carro abandonado
Grupo em SP realiza intervenção artística em carro abandonado
Jogar futebol faz bem para o coração e melhora saúde de diabéticos
Jogar futebol faz bem para o coração e melhora saúde de diabéticos
Guardas florestais matam os últimos 15 rinocerontes de Moçambique
Guardas florestais matam os últimos 15 rinocerontes de Moçambique
Caminhão de 1940 é reformado e vira espaço para descanso e lazer
Caminhão de 1940 é reformado e vira espaço para descanso e lazer
Finlândia constrói navio ecológico com capacidade para quase 3 mil pessoas
Finlândia constrói navio ecológico com capacidade para quase 3 mil pessoas
Surfista brasileiro cria pranchas ecológicas com garrafas PET
Surfista brasileiro cria pranchas ecológicas com garrafas PET
De onde vem a água que nós bebemos?
De onde vem a água que nós bebemos?
Haddad promete 400 km de vias para ciclistas
Haddad promete 400 km de vias para ciclistas
Índios têm previsões prejudicadas por mudanças climáticas
Índios têm previsões prejudicadas por mudanças climáticas
SP ganha prédio com cobertura ecológica e tomadas para carros elétricos
SP ganha prédio com cobertura ecológica e tomadas para carros elétricos
5 dicas para ser sustentável nas compras do material escolar
5 dicas para ser sustentável nas compras do material escolar
Iniciativa de supermercados inibirá venda de carne procedente de área desmatada
Iniciativa de supermercados inibirá venda de carne procedente de área desmatada
Dinamarqueses projetam casa feita com materiais reaproveitados
Dinamarqueses projetam casa feita com materiais reaproveitados