Aguarde...

Seis mil balões para lembrar o aquecimento global




Seis mil balões biodegradáveis preencheram o gramado em frente ao Congresso Nacional simbolizando 6 milhões de toneladas de gases do efeito estufa emitidos pelo Brasil a cada dia. O evento foi organizado pelo WWF-Brasil como parte das ações para o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 05 de junho. Logo após, representantes da organização foram recebidos pela Frente Parlamentar Ambientalista e entregaram uma série de propostas sobre como  podemos enfrentar o aquecimento global.

A ação teve como objetivo principal alertar governos, empresas e sociedade civil para o desafio das mudanças climáticas e lembrar: com a união de todos podemos deter o aquecimento global. Para Karen Suassuna, técnica em mudanças climáticas do WWF-Brasil, o mais importante da iniciativa foi tornar concreto um problema que normalmente não vemos: a emissão de gases do efeito estufa. “O Brasil é o quarto colocado no ranking dos maiores emissores mundiais principalmente por causa do desmatamento da Amazônia e das queimadas”, afirma.

Ainda pela manhã, o WWF-Brasil e outras 12 entidades ligadas ao meio ambiente, participaram de um café da manhã com deputados da Frente Parlamentar Ambientalista realizado pela organização SOS Mata Atlântica. Durante o evento, os parlamentares receberam um documento com propostas do WWF-Brasil sobre como enfrentar o aquecimento global no Brasil (confira a versão PDF do documento).

O presidente da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Sarney Filho (PV-MA), destacou a importância do diálogo com as organizações da sociedade civil e pediu um esforço dos parlamentares para a aprovação do Imposto de Renda (IR) Ecológico, que prevê a criação de leis de incentivo fiscal para o financiamento de projetos de conservação e uso sustentável dos recursos naturais.

O deputado Rocha Loures (PMDB - PR), membro da Comissão de Finanças e Tributação e coordenador do Grupo de Mudanças Climáticas, ecoou as palavras do colega: “essa lei já foi debatida o suficiente, agora é hora de aprová-la o mais rápido possível, não há porque prorrogarmos mais”. A votação do projeto na Comissão de Finanças e Tributação está prevista para o dia 13/06.

O Superintendente de Conservação e Programas Regionais do WWF-Brasil, Cláudio Maretti, lembrou a mensagem da instituição de que a mobilização de todos é a solução para combater o aquecimento global.  “As mudanças climáticas estão cada vez mais evidentes e trazem problemas cada vez mais graves. No entanto, ainda há espaço para sermos otimistas. A união entre sociedade civil e governos além do engajamento de cada um de nós, é o caminho para enfrentarmos o problema”.

Sobre mudanças climáticas
Cientistas de 100 países que compõem o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, do inglês) concordam em que o aquecimento global já provoca mudanças no planeta. Segundo os relatórios, 1 bilhão de pessoas na Ásia são ameaçadas pelas secas ou enchentes e 175 milhões de crianças sofrerão todos os anos pela próxima década – 50 milhões a mais do que na última década.

Amazônia e gases causadores do efeito estufa: Embora o País tenha uma matriz energética baseada em hidrelétricas, considerada mais limpa, o Brasil figura em 4º lugar entre os maiores emissores de gases estufa. A principal razão desta posição é o desmatamento da Amazônia e as queimadas que representam 75% das emissões brasileiras. A cada ano, em todo o mundo, áreas de florestas equivalentes ao território de Portugal são destruídas. O desmatamento é responsável por 18% das emissões globais de gases responsáveis pelo efeito estufa.

Alto custo econômico: O aquecimento global poderá custar à economia mundial até 20% do PIB do planeta, se não forem tomadas medidas urgentes para evitar enchentes, tempestades e outras catástrofes naturais. O mundo pode vir a pagar 1% de seu PIB anualmente para enfrentar o problema das mudanças climáticas. Mas fazer nada pode custar ainda mais caro. De acordo com o relatório Stern, produzido pelo governo inglês, as mudanças climáticas podem causar a maior recessão global desde a Grande Depressão.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (2)

Álbum de fotos (2)

Marcadores

Comentários



WWF-Brasil participa do programa de doação da American Express
WWF-Brasil participa do programa de doação da American Express
WWF-Brasil entre as Melhores e Maiores da revista Exame
WWF-Brasil entre as Melhores e Maiores da revista Exame
Programa Madeira é Legal comemora dois anos de bons resultados
Programa Madeira é Legal comemora dois anos de bons resultados
WWF-Brasil lança publicação sobre regulamentação de Reservas de Desenvolvimento Sustentável
WWF-Brasil lança publicação sobre regulamentação de Reservas de Desenvolvimento Sustentável
WWF apoiará reservas particulares de São Paulo
WWF apoiará reservas particulares de São Paulo
Redes sociais se conectam durante audiência pública no Senado
Redes sociais se conectam durante audiência pública no Senado
Equipe de comunicação passa um dia e uma noite no garimpo
Equipe de comunicação passa um dia e uma noite no garimpo
Juventude discute o Tratado de Educação Ambiental
Juventude discute o Tratado de Educação Ambiental
Governo do Amazonas avalia políticas de conservação ambiental no estado
Governo do Amazonas avalia políticas de conservação ambiental no estado
Seminário discute sustentabilidade no setor privado
Seminário discute sustentabilidade no setor privado
Gestão das Águas: Consórcio Lagos-São João vira Agência da região dos Lagos, no RJ
Gestão das Águas: Consórcio Lagos-São João vira Agência da região dos Lagos, no RJ
Código Florestal completa um ano com poucos avanços
Código Florestal completa um ano com poucos avanços
Brasil e Alemanha debatem conservação da Amazônia e do clima do planeta
Brasil e Alemanha debatem conservação da Amazônia e do clima do planeta
Número de queimadas cresce 350% no Cerrado
Número de queimadas cresce 350% no Cerrado
IPCC: Não há mais tempo a perder, é preciso combater as mudanças climáticas agora
IPCC: Não há mais tempo a perder, é preciso combater as mudanças climáticas agora
Floresta faz a Diferença resume as piores emendas ao Código Florestal
Floresta faz a Diferença resume as piores emendas ao Código Florestal
Congresso Nacional participa do movimento Hora do Planeta
Congresso Nacional participa do movimento Hora do Planeta
Frutos do Cerrado sustentam economias no sertão
Frutos do Cerrado sustentam economias no sertão
Projeto de lei de reforma do Código Florestal trará perdas econômicas para a agricultura brasileira
Projeto de lei de reforma do Código Florestal trará perdas econômicas para a agricultura brasileira
Ritmo de adesões de cidades aumenta, a uma semana da Hora do Planeta
Ritmo de adesões de cidades aumenta, a uma semana da Hora do Planeta