Aguarde...

Publicação mostra que ação humana foi responsável por deslizamentos no Rio




Publicação lançada nesta terça-feira (21) ajuda, pela abordagem técnica e por uma gigantesca documentação em imagens, a desmontar falsos argumentos sobre necessidade de manutenção das reservas legais e das áreas de preservação permanente (APPs). O livro “Áreas de Preservação Permanente e Unidades de Conservação X Áreas de Risco – o que uma coisa tem a ver com a outra” é o relatório de inspeção da área atingida pela tragédia das chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro no último verão. Foi publicado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) com o apoio do WWF-Brasil e outras organizações.

As conclusões são estarrecedoras. Os técnicos do MMA avaliaram 657 deslizamentos ocorridos numa área de 6 mil hectares. Constataram que 92% dos acidentes foram ocasionados por ocupações indevidas das áreas. Nos restantes 8% dos casos não foi possível identificar a pressão antrópica como causadora dos deslizamentos.

De acordo com o coordenador do estudo, Wigold Schaffer, as áreas mais afetadas são exatamente aquelas que o Código Florestal determina que devem ser preservadas e que a reforma em tramitação no Congresso permite o desmatamento: margens de rios, encostas com alta declividade e topos de morro.

"A constatação é que as áreas protegidas são as que oferecem riscos quando ocupadas. O estudo demonstra que a intervenção antrópica contribuiu para os resultados que ocasionaram em perdas humanas e patrimoniais", disse.

Schaffer contou que as áreas de agricultura consolidadas em APPS – que a proposta de reforma do Código Florestal quer manter desmatadas - também foram muito atingidas. Além da perda da lavoura, da safra e do solo, houve ainda a morte de cerca de 40 agricultores que construíram suas casas dentro de APPs.

De acordo com o superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, a publicação é “fundamental para desmontar falsas retóricas”, mostrando que a raiz do problema está no uso indevido de áreas protegidas. “Esta publicação ajudará na mobilização da sociedade e colaborará para dar ao poder público a coragem para enfrentar desafios e responsabilidades nas discussões a respeito do Código Florestal”, disse Scaramuzza.

A reforma do Código Florestal, que tramita agora no Senado Federal, permite o desmatamento de APPs e de Reservas Legais e anistia todas as ocupações irregulares de APPs, desobrigando sua restauração. 

Esse desmonte do Código Florestal vai na contramão de pesquisa de opinião feita pelo Instituto Datafolha. O levantamento mostra que a imensa maioria da população é contra as mudanças. Para 85% dos entrevistados, a prioridade deve ser a proteção das florestas e dos rios, e não a produção agropecuária. A pesquisa concluiu também que apenas 5% da população concordam com o perdão a desmatadores. Para 79% dos entrevistados, se a anistia for aprovada pelo Congresso, a presidente Dilma deveria vetar o perdão.

Também ontem, o MMA lançou o livro “Pagamentos por Serviços Ambientais na Mata Atlântica - Lições aprendidas e desafios”. O estudo reúne 78 iniciativas já em curso na Mata Atlântica. Os projetos contribuem para a restauração de matas ciliares, proteção e conservação da biodiversidade e ações de conservação e manutenção de recursos hídricos.

As publicações estão disponíveis na internet, pelo portal do MMA, ou podem ser acessadas nos links abaixo:


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Presidente da Associação Amor-Peixe participa de encontro com Lula
Presidente da Associação Amor-Peixe participa de encontro com Lula
Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente adere à Hora do Planeta
Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente adere à Hora do Planeta
Ato em Defesa das Florestas e entrega de abaixo-assinado contra mudanças no Código Florestal será na próxima terça-feira
Ato em Defesa das Florestas e entrega de abaixo-assinado contra mudanças no Código Florestal será na próxima terça-feira
Ecoturismo é caminho viável para o Mosaico de conservação do Apuí no Amazonas
Ecoturismo é caminho viável para o Mosaico de conservação do Apuí no Amazonas
Bertioga: processo de criação de unidade de conservação caminha para audiência pública
Bertioga: processo de criação de unidade de conservação caminha para audiência pública
Semana da Mobilidade começa neste sábado
Semana da Mobilidade começa neste sábado
Pantanal Integrado
Pantanal Integrado
Onça, urubu e como mudanças no Código Florestal podem afetar sua vida.
Onça, urubu e como mudanças no Código Florestal podem afetar sua vida.
Carbon Finance Workshop
Carbon Finance Workshop
Hora do Planeta avança com a adesão de 31 cidades e novos patrocinadores da edição de 2012
Hora do Planeta avança com a adesão de 31 cidades e novos patrocinadores da edição de 2012
Balão Panda do WWF-Brasil sobrevoa o encontro das águas para alertar sobre prejuízos do desmatamento na Amazônia
Balão Panda do WWF-Brasil sobrevoa o encontro das águas para alertar sobre prejuízos do desmatamento na Amazônia
Olhares sobre a Água e o Clima: conheça os trabalhos premiados
Olhares sobre a Água e o Clima: conheça os trabalhos premiados
Organizações sociais do Rio Negro cobram a criação da Resex Baixo Rio Branco-Jauaperi
Organizações sociais do Rio Negro cobram a criação da Resex Baixo Rio Branco-Jauaperi
WWF-Brasil promove curso de sistemas agroflorestais para agricultores do norte do Mato Grosso
WWF-Brasil promove curso de sistemas agroflorestais para agricultores do norte do Mato Grosso
Reunião definirá prazos para criação de unidades de conservação em Bertioga
Reunião definirá prazos para criação de unidades de conservação em Bertioga
2010: Ano da Biodiversidade
2010: Ano da Biodiversidade
WWF-Brasil e MMA firmam parceria para divulgar alimentos orgânicos
WWF-Brasil e MMA firmam parceria para divulgar alimentos orgânicos
Pelúcias com a marca WWF agora na rede Brasif
Pelúcias com a marca WWF agora na rede Brasif
Clima: Brasil não assume novos compromissos
Clima: Brasil não assume novos compromissos
Caxias do Sul recebe programa de consumo consciente e reciclagem
Caxias do Sul recebe programa de consumo consciente e reciclagem