Aguarde...

Pnuma e FAO lançam campanha para reduzir desperdício de alimentos no mundo


A cada ano, 1,3 bilhão de toneladas de alimento são perdidas ou desperdiçadas no mundo. Diante da expectativa de alguns especialistas, que acreditam que essas perdas podem ser revertidas com mudanças de padrões de produção e consumo, representantes do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançaram na última terça-feira (22), em Genebra, uma campanha intitulada “Pensar, Comer, Preservar” para tentar estimular novas ações em todo o planeta.

Segundo o sub-secretário-geral e diretor executivo do Pnuma, Achim Steiner, a proposta é revelar a situação atual e apresentar modelos que foram adotados com sucesso para minimizar o desperdício. Steiner acredita que essas informações podem estimular um novo debate no mundo e uma reflexão sobre o que deve ser feito para reverter o cenário.

O representante do Pnuma lembrou as projeções que indicam que a população mundial deve passar de sete bilhões de pessoas para nove bilhões até 2050, o que significa um crescimento da demanda por alimentos. “Não faz sentido, economicamente, ambientalmente e eticamente, desperdiçar alimentos”, disse, destacando o impacto do desperdício e da pressão pela maior produção de alimentos sobre o meio ambiente.

“São desperdiçados também recursos como água, terras cultiváveis, insumos agrícolas e tempo de trabalho, sem contar a geração de gases estufa pela comida em decomposição e pelo transporte dos alimentos. Para termos uma vida verdadeiramente sustentável, precisamos transformar a maneira como produzimos nossos alimentos”, acrescentou Steiner.

De acordo com dados divulgados por representantes da FAO, 20% de todas as terras do mundo já são cultivadas pela agricultura, que também responde pelo consumo de 70% da água doce do mundo. A organização também destaca que quase metade da comida descartada nas regiões industrializadas ainda poderia ser consumida. O volume de desperdício das nações mais ricas soma quase 300 toneladas por ano, quantidade que, segundo a FAO, é equivalente à toda a produção de alimentos da África Subsaariana e suficiente para alimentar 870 milhões de pessoas.

Diretora do departamento de Infraestrutura Rural e Agroindústrias da FAO, Eugenia Serova, defendeu uma profunda mudança nas formas de consumo e produção de alimentos. Ela lembrou que, apesar de os países desenvolverem diferentes padrões agrícolas, “todos desperdiçam comida, em maior ou menor volume”. Dados da FAO revelam que um terço dos alimentos produzidos no mundo é perdido durante os processos de produção e venda, o equivalente a US$ 1 trilhão.

O movimento lançado hoje pelos órgãos das Nações Unidas é resultado de debate que ganhou força durante a Rio +20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorreu em junho do ano passado, no Rio de Janeiro. Durante o encontro, os chefes de Estado que participaram das negociações concordaram em adotar iniciativas para mudar os padrões de consumo e produção em seus países.

A campanha reúne em um portal da internet informações em mais de quatro idiomas, incluindo o português, sobre ações organizadas em todo o mundo. O site destaca dicas para os consumidores sobre o que fazer para reduzir as perdas, como elaborar listas e comprar vegetais que, mesmo não atendendo o padrão dos mercados, estão plenamente adequados para o consumo. As orientações também são voltadas para comerciantes que podem medir melhor o desperdício e evitar algumas perdas.

Carolina Gonçalves, da Agência Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Barraca de camping tem sinal de internet e produz energia solar para carregar celulares
Barraca de camping tem sinal de internet e produz energia solar para carregar celulares
Chineses podem parar de usar hashis por escassez de árvores
Chineses podem parar de usar hashis por escassez de árvores
Projeto Toque de Letra abre inscrições para crianças praticarem esportes em SP
Projeto Toque de Letra abre inscrições para crianças praticarem esportes em SP
Designer carioca produz curta-metragem sobre pranchas ecológicas
Designer carioca produz curta-metragem sobre pranchas ecológicas
Brasileiro não sabe identificar no rótulo os nutrientes dos alimentos industrializados
Brasileiro não sabe identificar no rótulo os nutrientes dos alimentos industrializados
Aplicativo dá dicas para usuário levar uma vida mais sustentável
Aplicativo dá dicas para usuário levar uma vida mais sustentável
Ingleses criam sabão em pó que absorve a poluição do ar
Ingleses criam sabão em pó que absorve a poluição do ar
Rio de Janeiro é considerada uma das melhores cidades do mundo para ciclistas
Rio de Janeiro é considerada uma das melhores cidades do mundo para ciclistas
Metrô e ônibus são os meios de transporte mais lentos em SP e RJ
Metrô e ônibus são os meios de transporte mais lentos em SP e RJ
ONU estuda o uso de nanotecnologia para despoluir água
ONU estuda o uso de nanotecnologia para despoluir água
Bicicleta elétrica com design de moto tem autonomia de 320 km
Bicicleta elétrica com design de moto tem autonomia de 320 km
Estudantes constroem colmeia gigante para abelhas em Nova Iorque
Estudantes constroem colmeia gigante para abelhas em Nova Iorque
Tráfico de animais movimenta US$ 19 bilhões ao ano, diz WWF
Tráfico de animais movimenta US$ 19 bilhões ao ano, diz WWF
Britânicos projetam papamóvel movido a pedaladas
Britânicos projetam papamóvel movido a pedaladas
Urna biodegradável transforma cinzas em árvore
Urna biodegradável transforma cinzas em árvore
Casal que viajava o mundo de bicicleta morre atropelado na Tailândia
Casal que viajava o mundo de bicicleta morre atropelado na Tailândia
Em Washington, ciclistas pagam imposto por CO2 liberado na respiração
Em Washington, ciclistas pagam imposto por CO2 liberado na respiração
Norte-americano usa piano-bike para levar música às ruas
Norte-americano usa piano-bike para levar música às ruas
Bike entrega é opção para reduzir congestionamento em grandes cidades
Bike entrega é opção para reduzir congestionamento em grandes cidades
Funai conclui estudo sobre terra de guaranis kaiowás do Mato Grosso do Sul
Funai conclui estudo sobre terra de guaranis kaiowás do Mato Grosso do Sul