Aguarde...

Parque Montanhas do Tumucumaque inaugura espaço para observação da natureza




Como parte das comemorações pela primeira década de existência do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, comemorada em 22 de agosto, os gestores e responsáveis por aquela unidade de conservação realizaram, na primeira semana de setembro, a inauguração de um Centro Rústico de Vivência (CRV).

O CRV é o “embrião” de um possível Centro de Interpretação da Natureza, um espaço dedicado a apresentar, para o público em geral, as características de determinadas áreas naturais.

O evento de inauguração do Centro Rústico de Vivência aconteceu num dos principais acessos ao Parque, uma área remota situada dentro de Serra do Navio, a 190 quilômetros de Macapá, capital do Amapá.

Cerca de 70 pessoas participaram desta programação - entre gestores do Parque, representantes de órgãos públicos, entidades civis, lideranças indígenas, militares, ribeirinhos que moram em comunidades próximas e organizações não governamentais dedicadas ao Meio Ambiente, como o WWF-Brasil, que apóia várias ações promovidas no Tumucumaque.

A programação comemorativa, realizada entre os dias 4 e 5 de setembro, contou com a presença do grupo Raízes do Bolão, que apresentou um número de Marabaixo, uma manifestação folclórica típica da região onde fica o Parque. O ator Álvaro Braga realizou uma performance sobre os mitos amazônicos e fez um número musical de voz e violão. 

As atividades contaram ainda com uma reunião do Conselho Consultivo do Parque Nacional. Na ocasião, os conselheiros discutiram temas como uso público, trilhas no interior do Tumucumaque, educação ambiental e pesquisa dentro de Unidades de Conservação. Ocorreu também uma reflexão sobre os 10 anos do Parque, desde sua criação até os dias de hoje. Em outro momento, os convidados percorreram uma trilha de 700 metros, até as margens do rio Feliz, para conhecer melhor a flora e fauna do lugar.

Turismo é prioridade

O gestor do Parque Nacional, Cristoph Jaster, afirmou que o Tumucumaque vive hoje um momento de reflexão sobre o seu futuro. “Muita coisa foi feita nestes 10 anos. Mas, com a conclusão do plano de manejo, passamos agora a uma fase mais ativa, de real implementação desta Unidade de Conservação. O desafio é promover ações que demonstrem os benefícios do Parque para as comunidades do entorno e para o Estado. Nesse contexto, o uso público – ou seja, a utilização turística - é uma de nossas prioridades, com dois pólos principais: as cidades de Serra do Navio e Oiapoque”, explicou na ocasião.
 
O analista de conservação do WWF-Brasil, Luiz Coltro, contou que os eventos serviram para comemorar o sucesso do Tumucumaque – uma unidade de conservação que possui vários instrumentos de gestão ativos, como um conselho consultivo atuante, plano de manejo criado e boa relação com as comunidades próximas. “O WWF-Brasil tem orgulho de apoiar o trabalho de uma equipe gestora tão competente, que vem desempenhando um papel muito importante para que o Parque conte hoje com os seus principais instrumentos de gestão”, afirmou. 
Representante do Exército Brasileiro, o tenente-coronel Ricardo Quadros fez uma referência especial às organizações não-governamentais que atuam na Amazônia. “Estamos atuando como aliados no mesmo trabalho, que é manter o espírito da conservação e a disposição de trabalhar em regiões distantes e isoladas do nosso País”, contou. 

É possível ver fotos da viagem comemorativa na página oficial do Parque no Facebook, disponível neste link aqui.
 
Sobre o Tumucumaque
 
O Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque é uma das maiores áreas de floresta tropical protegida do mundo, com tamanho aproximado de 3,8 milhões de hectares situados entre o Pará e o Amapá, no norte do Brasil. Criado em 22 de agosto de 2002, o Parque está na região conhecida como “Escudo das Guianas”, de características únicas e pouco estudadas. O Parque é gerenciado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). 
 
O maior objetivo da unidade é preservar ecossistemas naturais de relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas cientificas, atividades de educação ambiental, recreação, contato com a natureza e turismo ecológico, além da melhoria da qualidade de vida das populações que moram ao seu redor. O Tumucumaque abrange os municípios de Oiapoque, Calçoene, Pedra Branca do Amapari, Serra do Navio e Laranjal do Jari, todos no Amapá; e também ocupa uma pequena porção da cidade de Almeirim, no Pará. 
 
Linha do tempo do Parque:
 
2002: Criação do parque e primeiro concurso público para servidores do Ibama;
 
2003: Constituição da primeira equipe do Parque;
 
2004: Estabelecimento da sede administrativa provisória, na cidade de Serra do Navio (AP); realização dos levantamentos bióticos para o plano de manejo; consolidação e início do apoio do Programa Arpa ao Tumucumaque;
 
2005: Reativação do conselho consultivo, que opina sobre as atividades e iniciativas que serão desenvolvidas dentro da Unidade de Conservação, e estabelecimento de sede definitiva em Serra do Navio;
 
2006: Aproximação com o Exército e capacitação da equipe do parque no Programa de Gestão para Resultados (PGR);
 
2007: Criação do Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio), revisão dos conceitos do PGR para elaboração do plano de manejo e definição do primeiro plano de proteção do Tumucumaque;
 
2008: Intensificação das atividades no Oiapoque e primeira validação do Gespública, órgão do governo dedicado à boa prestação de serviços públicos;
 
2009: Articulação com Conselho de Defesa Nacional e Ministério da Defesa para elaboração do plano de manejo e início do Curso de Pedagogia em Projetos e Temas Ambientais em Serra do Navio;
 
2010: Estruturação das atividades de gestão segundo coordenações temáticas e intensificação da parceria com o WWF-Brasil;
 
2012: Início do planejamento para as atividades de uso público no parque e estruturação do Centro Rústico de Vivência. 

 
 


Fonte: WWF - Brasil


Marcadores

Comentários



Empreendedores climáticos são chave para um futuro de baixo carbono
Empreendedores climáticos são chave para um futuro de baixo carbono
Para pesquisadores, melhora na produtividade garante demanda por alimentos sem precisar desmatar
Para pesquisadores, melhora na produtividade garante demanda por alimentos sem precisar desmatar
Expedição científica em floresta do Pará verifica degradação e identifica espécies ameaçadas
Expedição científica em floresta do Pará verifica degradação e identifica espécies ameaçadas
Décima edição do curso de gestão de UCs da Amazônia acontece no Acre
Décima edição do curso de gestão de UCs da Amazônia acontece no Acre
2ª Vigília pelo Código Florestal abre a semana de mobilização pela conservação do meio ambiente
2ª Vigília pelo Código Florestal abre a semana de mobilização pela conservação do meio ambiente
WWF-Brasil e AES Eletropaulo lançam campanha de arrecadação
WWF-Brasil e AES Eletropaulo lançam campanha de arrecadação
Capacitação em cooperativismo leva produtores acreanos ao RS
Capacitação em cooperativismo leva produtores acreanos ao RS
Amazônia no palco das discussões na Conferência de Clima
Amazônia no palco das discussões na Conferência de Clima
Encontro discute uso sustentável da madeira
Encontro discute uso sustentável da madeira
Partidos suíços pedem que não haja retrocesso em lei florestal brasileira
Partidos suíços pedem que não haja retrocesso em lei florestal brasileira
Medidas que têm reduzido desmatamento na Amazônia precisam ser consolidadas e ampliadas
Medidas que têm reduzido desmatamento na Amazônia precisam ser consolidadas e ampliadas
Trabalho de conservação da Rede WWF chega ao Google Earth
Trabalho de conservação da Rede WWF chega ao Google Earth
Município de Apiacás terá Casa de Meio Ambiente e Cultura
Município de Apiacás terá Casa de Meio Ambiente e Cultura
Balão Panda do WWF-Brasil sobrevoa o encontro das águas para alertar sobre prejuízos do desmatamento na Amazônia
Balão Panda do WWF-Brasil sobrevoa o encontro das águas para alertar sobre prejuízos do desmatamento na Amazônia
Mudanças climáticas exigem ações urgentes de adaptação
Mudanças climáticas exigem ações urgentes de adaptação
WWF-Brasil compõe grupo de pesquisadores para expedição científica no Tumucumaque
WWF-Brasil compõe grupo de pesquisadores para expedição científica no Tumucumaque
Texto da Rio+20 é “enxugado”, mas só será fechado na segunda
Texto da Rio+20 é “enxugado”, mas só será fechado na segunda
Mobilização para deter as mudanças climáticas
Mobilização para deter as mudanças climáticas
Engajamento pela biodiversidade
Engajamento pela biodiversidade
Gisele mobiliza as redes sociais para apoio às florestas
Gisele mobiliza as redes sociais para apoio às florestas