Aguarde...

Países afirmam interesse em cooperação para conservação das florestas tropicais




Representantes de 30 países que abrigam florestas tropicais se comprometeram a firmar até a conferência Rio + 20, em 2012, um acordo de cooperação para conservar as três maiores florestas tropicais do mundo - floresta Amazônica, do Congo e Borneo-Mekong.  Esse foi o resultado da Cúpula de Chefes de Estado e Governos das Três Bacias de Florestas Tropicais que aconteceu em Brazzaville, no Congo, de 31 de maio a 3 de junho.

A cúpula reuniu representantes de 30 países das regiões, tais como Brasil, Colômbia, Equador, Congo, Camarões, República da África Central e ainda Indonésia, China e Tailândia, em um esforço de promover soluções de longo prazo para a gestão sustentável dessas florestas.

Para o WWF-Brasil, a iniciativa de promover esse encontro foi muito importante e o início do diálogo é promissor. “É um início, mas que, se os países levarem a sério, pode se transformar num acordo muito importante para o futuro das florestas”, afirmou o líder da Iniciativa Amazônia Viva da Rede WWF, Cláudio Maretti.

“Um acordo de cooperação regional entre as três florestas tropicais do mundo representa uma grande oportunidade para a conservação ambiental, uma vez que ajuda a expandir áreas protegidas, promove a troca de informações e experiências e harmoniza políticas sociais e econômicas”, concluiu Maretti.

As florestas Amazônica, do Congo e Borneo-Mekong representam um terço das florestas do planeta e desempenham um papel crucial na regulação do clima global, na manutenção da subsistência local e na proteção da biodiversidade do planeta. As florestas são a “casa” de 80% da biodiversidade terrestre e de 300 milhões de pessoas ao redor do mundo.

Para Lasse Gustavsson, diretor executivo de conservação da Rede WWF e que participou da cúpula,  “os governos precisam agora usar essa oportunidade criada durante a cúpula para continuar a caminhar em direção ao desenvolvimento de uma economia verde e para fortalecer seus comprometimentos, estabelecer metas concretas e tomar atitudes para preservar as florestas de mais degradação e desmatamento”.

Estudo da FAO aponta queda de 25% na destruição das florestas na última década

O Estado das Florestas na Bacia Amazônia, Bacia do Congo e no Sudeste da Ásia – estudo realizado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) para ser apresentado nessa semana na cúpula de Brazzaville aponta que porcentagem de destruição das três maiores florestas tropicais do mundo – Amazônia, do Congo e Borneo-Mekong – caiu 25% na última década.

O estudo indica que a área desmatada nas florestas das três regiões, que juntas somam 1.3 bilhões de hectares e abrigam 33% das florestas do planeta, foi de 5.4 milhões de hectares por ano entre 2000 e 2010, um quarto a menos que os 7.1 milhões da década anterior.  A Bacia Amazônica sofreu a maior perda: cerca de 3.6 milhões de hectares por ano entre 2000 e 2010. Segundo o estudo, apesar da queda, as taxas de desmatamento continuam extremamente altas em alguns países.

Ainda conforme a pesquisa, a Bacia Amazônica contém o maior percentual de floresta primária (80%), ou seja de floresta original que não sofreu impacto pela ação do homem, porém também é a que mais perde áreas de floresta.

Além disso, as três florestas juntas são responsáveis pelo estoque de 42% de todo o estoque de carbono em florestas do mundo, porém esse estoque sofreu uma redução de 1.2 gigatoneladas de carbono no período de 2000 a 2010, devido principalmente a redução da área de floresta.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Estudo mostra importância de áreas protegidas na redução de emissões
Estudo mostra importância de áreas protegidas na redução de emissões
Especialistas definem plano de ação para salvar araras-azuis
Especialistas definem plano de ação para salvar araras-azuis
Técnicos transformam certificação em realidade no campo
Técnicos transformam certificação em realidade no campo
"Projeto de reforma do Código Florestal é uma bomba de carbono"
"Projeto de reforma do Código Florestal é uma bomba de carbono"
Expedição desvenda área úmida na Amazônia
Expedição desvenda área úmida na Amazônia
Groupon cria oferta especial para ajudar a Iniciativa Amazônia Viva do WWF
Groupon cria oferta especial para ajudar a Iniciativa Amazônia Viva do WWF
Holanda estimula a produção sustentável da soja
Holanda  estimula a produção sustentável da soja
Empresas trocam experiências sobre sustentabilidade
Empresas trocam experiências sobre sustentabilidade
Texto da ONU sobre clima será apresentado pela primeira vez
Texto da ONU sobre clima será apresentado pela primeira vez
WWF-Brasil realiza oficina no Encontro Nacional de Comitês de Bacias
WWF-Brasil realiza oficina no Encontro Nacional de Comitês de Bacias
Impactos das mudanças climáticas na Amazônia podem inviabilizar Belo Monte
Impactos das mudanças climáticas na Amazônia podem inviabilizar Belo Monte
Quem tem medo de sexta-feira 14 na COP13???
Quem tem medo de sexta-feira 14 na COP13???
Cláudio Maretti: o Código e a Panamazônia
Cláudio Maretti: o Código e a Panamazônia
Ambiente amistoso, mas com poucos avanços nas negociações de clima
Ambiente amistoso, mas com poucos avanços nas negociações de clima
Seminário lança programa de capacitação que vai beneficiar mais de 2,5 mil famílias
Seminário lança programa de capacitação que vai beneficiar mais de 2,5 mil famílias
Áreas protegidas da Amazônia são destaque na programação do WWF-Brasil no CBUC
Áreas protegidas da Amazônia são destaque na programação do WWF-Brasil no CBUC
WWF Internacional tem novo Diretor-Geral
WWF Internacional tem novo Diretor-Geral
WWF-Brasil divulga melhores práticas produtivas na Dinapec
WWF-Brasil divulga melhores práticas produtivas na Dinapec
Que foco o jornalista deve dar na cobertura da COP9 da CDB?
Que foco o jornalista deve dar na cobertura da COP9 da CDB?
Boto é declarado símbolo de conservação para o departamento de Beni, Bolívia
Boto  é declarado símbolo  de  conservação para o  departamento de Beni, Bolívia