Aguarde...

Não podemos deixar o clima entregue à própria sorte




Bonn, Alemanha - As conversas da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre clima, que começaram hoje em Bonn, na Alemanha, precisam produzir resultados concretos. Hoje, as equipes da Rede WWF e da Oxfam se vestiram de ursos polares e distribuíram biscoitos da sorte com 16 demandas para os resultados das reuniões, que terminam dia 13 de junho.

Delegados de mais de 100 países vão estar presentes nas reuniões. As conversas em Bonn são a segunda etapa da maratona de negociações que começou em Bali, em dezembro de 2007, quando os governos concordaram em chegar a um novo acordo climático até o final de 2009 na Convenção-Quadro da ONU sobre Mudanças Climáticas em Copenhagen. O acordo tem de cobrir assuntos relacionados às reduções de emissões para prevenir mudanças climáticas mais perigosas combinadas com mecanismos e recursos para mitigação, adaptação, finanças, tecnologia e florestas.

“Para chegar a um progresso na Copenhagen no ano que vem, os países precisam acordar sobre as opções e idéias básicas a serem negociadas mais profundamente ainda este ano, na próxima Convenção de Clima, na Polônia”, afirma Kim Carstensen, Diretor da Iniciativa Global de Clima da Rede WWF.

Na última reunião sobre o tema, em Bangcoc, os governantes falharam em colocar na mesa uma agenda de trabalho detalhada e não progrediram além das decisões já tomadas em Bali. Em Bonn, os negociadores devem identificar opções necessárias para a redução de emissões e para mobilizar os recursos necessários para isto. Vários representantes da Rede WWF estarão acompanhando as reuniões, inclusive uma representante do WWF-Brasil.

Na parte de financiamento de energia limpa e adaptação, os governos devem identificar e se comprometer a desenvolver ferramentas para financiar o esquema que garante os recursos previstos para um desenvolvimento de baixas emissões de carbono para os países em desenvolvimento. Financiamento para assuntos climáticos devem ser adicionais aos já existentes. Os recursos destinados à ajuda ao desenvolvimento são voltados para alívio da pobreza nos países mais pobres e não devem ser misturados com fundos para resolver a crise climática global. Todos os pagamentos, sejam para desenvolvimento ou para clima, devem ser mensuráveis, reportáveis e verificáveis. Em retorno, os países em desenvolvimento devem se comprometer a colocar as políticas de desenvolvimento nacionais em prática para permitir a adaptação efetiva e assegurar menos emissões.

"Países industrializados precisam respeitar suas obrigações e responsabilidades para liderar o combate às mudanças climáticas," afirma Kathrin Gutmann, coordenadora de Políticas Públicas para Mudanças Climáticas da Rede WWF. “Existe uma diferença clara entre os países em desenvolvimento e os industrializados e nenhum ‘clube dos maiores emissores’ pode se sobrepor a este fato."

Alguns países industrializados vão novamente tentar lançar dúvidas sobre os compromissos de médio prazo (entre 25% e 40% até 2020 foi acordado entre as partes do Protocolo de Quioto em Bali). Apesar de este assunto não estar explicitamente na agenda do encontro em Bonn, é politicamente importante que os governos confirmem este compromisso e não contem apenas com as metas de 2050.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



WWF-Brasil apoia ação do Greenpeace em defesa do Código Florestal
WWF-Brasil apoia ação do Greenpeace em defesa do Código Florestal
Conheça nossa equipe: Hora do Planeta
Conheça nossa equipe: Hora do Planeta
Hora de Acordar: o mundo deu o seu recado
Hora de Acordar: o mundo deu o seu recado
Mudam ministros. Desafios ambientais continuam
Mudam ministros. Desafios ambientais continuam
Desmatamento na Amazônia cai, mas dados não são conclusivos
Desmatamento na Amazônia cai, mas dados não são conclusivos
Dorinha, uma catadora
Dorinha, uma catadora
Líderes mundiais debatem futuro das florestas em cúpula no Congo
Líderes mundiais debatem futuro das florestas em cúpula no Congo
WWF-Brasil apóia o lançamento da II Revista Brasileira de Educação Ambiental
WWF-Brasil apóia o lançamento da II Revista Brasileira de Educação Ambiental
Parceria entre WWF-Brasil e Unimed Seguros beneficia projeto ecológico no Distrito Federal
Parceria entre WWF-Brasil e Unimed Seguros beneficia projeto ecológico no Distrito Federal
Um dia – contagem regressiva para Hora do Planeta
Um dia – contagem regressiva para Hora do Planeta
WWF-Brasil apoia consolidação de Resex no Mato Grosso
WWF-Brasil apoia consolidação de Resex no Mato Grosso
Participação cidadã é debatida pelos conselheiros de Unidades de Conservação no Acre
Participação cidadã é debatida pelos conselheiros de Unidades de Conservação no Acre
Reputações climáticas de Merkel e Tusk viram fumaça
Reputações climáticas de Merkel e Tusk viram fumaça
WWF-Brasil lança campanha criada pela DM9DBB
WWF-Brasil lança campanha criada pela DM9DBB
O alerta que vem do cerrado
O alerta que vem do cerrado
Seminário discute mosaicos de áreas protegidas no Amazonas
Seminário discute mosaicos de áreas protegidas no Amazonas
Um Globo do Povo em Copenhague
Um Globo do Povo em Copenhague
Protesto contra alterações no Código Florestal em SP
Protesto contra alterações no Código Florestal em SP
ONGs alemãs e brasileiras discutem questões ambientais na sede do WWF-Brasil
ONGs alemãs e brasileiras discutem questões ambientais na sede do WWF-Brasil
Metas do Brasil para reduzir o desmatamento são insuficientes
Metas do Brasil para reduzir o desmatamento são insuficientes