Aguarde...

Ministros amazônicos manifestam interesse na conservação integrada da região em Nagoia




Ligia Paes de Barros, de Nagoia
WWF-Brasil

Durante a 10ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica, que acontece em Nagoia até 29 de outubro, as negociações em torno de um Plano Estratégico para a próxima década que reduza a perda da biodiversidade no mundo continuam. E uma das reivindicações da Rede WWF e do WWF-Brasil para esse Plano Estratégico é o compromisso dos países em conservar, em áreas protegidas, 20% de diferentes ecorregiões do planeta.

O Programa de Trabalho de Áreas Protegidas da CDB recomenda que, uma vez que as ecorregiões são áreas com características naturais comuns e que não necessariamente estão inteiramente dentro de apenas um país, os diversos países de uma mesma ecorregião trabalhem conjuntamente na conservação da biodiversidade para atingir resultados mais expressivos.

Nesse contexto, hoje, ministros de Meio Ambiente de seis países amazônicos - Brasil, Peru, Equador, Suriname, Colômbia e França (Guiana Francesa) - se reuniram em Nagoia e confirmaram interesse em trabalharem conjuntamente para conservação da região.

Os ministros afirmaram que irão apoiar, nos próximos dez anos, a implementação de um plano de ação indicado no primeiro relatório regional de implementação do Plano de Trabalho da CDB sobre Áreas Protegidas na Amazônia, realizado por diretores de áreas protegidas dos nove países amazônicos com apoio de organizações, entre elas o WWF.

“Esperamos poder trabalhar juntos nessa iniciativa de conservação regional da Amazônia e também contribuir para o sucesso dessa COP 10”, afirmou a ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabella Teixeira. “nós precisamos reconhecer o trabalho que já foi feito nesse sentido até agora, com resultados impressionantes, mas também fornecer um aparato político para que esse trabalho continue a ser feito”, ressaltou Teixeira.

Para Denise Hamú, secretária-geral do WWF-Brasil, esse encontro mostrou uma convergência de interesses excepcional. “Essa disposição de todos os ministros em cooperar é muito positiva. A possibilidade de troca de experiências entre os países amazônicos é fundamental para conseguirmos cumprir as metas da CDB relacionadas a áreas protegidas e conservar eficientemente essa região fundamental para a saúde do planeta”, afirmou Hamú.

Os ministros ainda apontaram a importância desse trabalho conjunto na conservação da Amazônia para a manutenção dos serviços ecológicos da região e a resistência frente às ameaças das mudanças climáticas.

“Estamos falando de uma das regiões ecológicas mais importantes do mundo – a Amazônia – de um dos esforços de conservação mais significativos do mundo – as áreas protegidas dos nove países amazônicos –, com um vínculo muito grande com a implementação das decisões da CDB, afirmou Cláudio Maretti, superintendente de conservação do WWF-Brasil.

Segundo Maretti esse encontro e comprometimento dos ministros dos países para a conservação integrada da Amazônia é fundamental para a efetividade desse trabalho conjunto já iniciado. “Esperamos que o que aconteceu hoje continue se repetindo em outros encontros internacionais para que esse trabalho seja consolidado cada vez mais”, afirmou Cláudio Maretti. 

Primeiro relatório de conservação regional da Amazônia

Essa semana, foi apresentado em evento paralelo na COP 10, o primeiro Relatório Regional de Implementação do Plano de Trabalho de Áreas Protegidas da CDB. O trabalho é uma parceria entre diversos países por meio da Redparques (Rede Latino-americana de Áreas Protegidas), com o apoio técnico da União Internacional para Conservação da Natureza (UICN), secretariado da CDB, e a Rede WWF, e a participação da Comunidade das Nações Andinas (CAN) e da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (Otca).

O relatório apresentado mostrou resultados alcançados pelo trabalho na região em relação à identificação de oportunidades de conservação regional, efetividade de gestão, sustentabilidade financeira e experiências de conservação de populações indígenas e comunidades locais.

“Estamos no começo desde trabalho que possui muitas possibilidades, mas também muitos desafios”, afirmou Fábio França, diretor de Áreas Protegidas do Ministério do Meio Ambiente do Brasil.

O desafio do financiamento

Segundo França, entre as principais dificuldades encontradas na implementação do programa de trabalho regional foi a falta de recursos financeiros: há uma lacuna financeira para apoiar o programa de 500 milhões de dólares e mais 150 milhões de dólares anuais, além do volume já investidos pelos países com seus orçamentos nacionais.

“A dificuldade encontrada pelos países amazônicos na implementação de um trabalho conjunto de conservação demonstra a importância da discussão em torno da mobilização de recursos financeiros durante essa conferência em Nagoia, pois é necessário dar condições para implementação do plano estratégico que se espera seja aprovado aqui” afirmou Cláudio Maretti.

Esse assunto também foi abordado durante o encontro dos ministros amazônicos. “É preciso fazer com que a comunidade internacional reconheça a importância desse trabalho e forneça o apoio financeiro necessário para a sua continuidade”, disse a ministra Teixeira ressaltando a importância mundial da Amazônia. 

A importância das áreas protegidas da Amazônia

As áreas protegidas são um instrumento fundamental em qualquer estratégia de desenvolvimento sustentável e conservação da diversidade ecológica e cultural. O conjunto de sistemas nacionais de áreas protegidas nas áreas amazônicas nos nove países representa aproximadamente 21% do total da região, sem incluir os 26% do território em terras indígenas e outras categorias que contribuem para a conservação da biodiversidade. Além disso, 78% de todas as áreas protegidas criadas no mundo entre 2003 e 2009 estão na Amazônia e este bioma contém 2,16% de todas as áreas protegidas do mundo. Esse esforço na região foi reconhecido pela terceira edição do relatório “Panorama Global de Biodiversidade” como um dos principais resultados obtidos em termos de conservação da biodiversidade na última década.
 

Durante toda a COP 10/CDB, a equipe do WWF-Brasil irá enviar, diretamente de Nagoia,  informações exclusivas, observações, curiosidades e fotos do evento, para o blog da campanha "Cuidar da natureza é cuidar da vida". Acompanhe!

 


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (2)

Álbum de fotos (2)

Marcadores

Comentários



Programa Madeira é Legal mostra resultados
Programa Madeira é Legal mostra resultados
Relatório indica dez maravilhas da natureza ameçadas
Relatório indica dez maravilhas da natureza ameçadas
Vivendo no norte do Mato Grosso há 19 anos, Seu Daniel quer produzir sem agredir o Meio Ambiente
Vivendo no norte do Mato Grosso há 19 anos, Seu Daniel quer produzir sem agredir o Meio Ambiente
Amazônia por terra e pelo ar
Amazônia por terra e pelo ar
WWF-Brasil e MMA firmam parceria para divulgar alimentos orgânicos
WWF-Brasil e MMA firmam parceria para divulgar alimentos orgânicos
Pantaneira ganha prêmio
Pantaneira ganha prêmio
Em nota oficial, organizações não-governamentais repudiam emendas à MP 366
Em nota oficial, organizações não-governamentais repudiam emendas à MP 366
Economia “verde” ajuda luta contra mudanças climáticas
Economia “verde” ajuda luta contra mudanças climáticas
Cadeias produtivas sustentáveis ganham força no Acre
Cadeias produtivas sustentáveis ganham força no Acre
Semana do Meio Ambiente
Semana do Meio Ambiente
Carbon Finance Workshop
Carbon Finance Workshop
Sucesso da Hora do Planeta mostra que o mundo está pronto para ir Além da Hora
Sucesso da Hora do Planeta mostra que o mundo está pronto para ir Além da Hora
Clima precisa de mais peso na agenda política
Clima precisa de mais peso na agenda política
Manejo de pesca alcança resultados e é ampliado no Acre
Manejo de pesca alcança resultados e é ampliado no Acre
Coragem para atravessar um pedaço de floresta amazônica
Coragem para atravessar um pedaço de floresta amazônica
Ministério do Meio Ambiente suspende licenciamento da BR-319
Ministério do Meio Ambiente suspende licenciamento da BR-319
Governos falham em coragem e ambição nas negociações climáticas da ONU
Governos falham em coragem e ambição nas negociações climáticas da ONU
IR Ecológico será debatido em Manaus
IR Ecológico será debatido em Manaus
Amazônia: 17,3% já desapareceu
Amazônia: 17,3% já desapareceu
Projeto do IR Ecológico é aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados
Projeto do IR Ecológico é aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados