Aguarde...

Grupo anuncia US$ 3,5 bilhões para conter o desmatamento




O Departamento de Energia e Mudança Climática do Reino Unido anunciou, ontem (17/12), um acordo entre Austrália, França, Japão, Noruega, Reino Unido e Estados Unidos para alocar US$ 3,5 bilhões de dólares, destinados a iniciar o financiamento público de ações com o objetivo de retardar, parar e eventualmente reverter o desmatamento nos países em desenvolvimento.

O anúncio diz que "ações para reduzir as emissões oriundas de florestas podem ajudar a estabilizar o clima, apoiar o meio de subsistência das populações e garantir a conservação da biodiversidade, bem como promover o desenvolvimento econômico”.

Os signatários reconhecem, segundo o documento, o papel significativo do financiamento público internacional no apoio aos países em desenvolvimento, como parte de um acordo ambicioso e abrangente.

“É um esforço para retardar, parar e eventualmente reverter o desmatamento. Foi nisso que pensamos ao fazer a alocação conjunta de US$ 3,5 bilhões de dólares para iniciar o financiamento de planos de Redução das Emissões do Desmatamento e da Degradação Florestal - REDD durante o período de 2010 a 2012”, afirmam os países em sua declaração conjunta.

Para eles, esses recursos são um investimento inicial a ser aplicado nos países em desenvolvimento que coloquem em andamento planos ambiciosos de REDD e que obtenham reduções de emissões florestais, conforme sua própria capacidade.

“Assumimos o compromisso conjunto de aumentar a escala desse financiamento de acordo com as oportunidades e os resultados a serem obtidos”, completa o anúncio, que convida, ainda, outros doadores a se unirem a estes esforços para tornar realidade os primeiros projetos de REDD. Convidamos outros doadores a se unirem a nós nesse esforço para tornar realidade as primeiras providências de REDD."

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, destacou textualmente que “o desmatamento é responsável por quase um quinto das emissões mundiais. Ao armazenarem a poluição global, as florestas das nações tropicais prestam um serviço para o mundo”.

Segundo Brown, é possível que essas florestas estejam irremediavelmente perdidas se ninguém tomar uma atitude. “Tal perda provocaria um impacto no clima mundial e, também, nos meios de subsistência de 90% das 1,2 bilhões de pessoas que vivem na extrema pobreza e que dependem dos recursos florestais para sua sobrevivência”.

O primeiro-ministro acredita que um acordo para retardar, parar e eventualmente reverter o desmatamento precisa ser o ponto focal do resultado a ser alcançado em Copenhague, e que são necessários cerca de US$ 25 bilhões durante o período de 2010 a 2015 para diminuir em 25% os índices de desmatamento nos países em desenvolvimento até 2015. “Os países desenvolvidos devem prover a maior parte desses recursos e apoiar os países tropicais em seus esforços nesse sentido”, disse Gordon Brown.

O dirigente britânico informou também que o Reino Unido contribuirá, em um primeiro momento, com US$ 480 milhões, para garantir um rápido começo. “Eu farei todos os esforços possíveis para fortalecer tal esforço coletivo e trabalhar junto com todas as nações, a fim de alcançar um acordo climático que seja o mais ambicioso", concluiu.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Congresso Nacional realiza seminário sobre energia e mudanças climáticas com apoio do WWF-Brasil
Congresso Nacional realiza seminário sobre energia e mudanças climáticas com apoio do WWF-Brasil
WWF-Brasil faz oficina para discutir indicadores de governança das águas do país
WWF-Brasil faz oficina para discutir indicadores de governança das águas do país
Desmatamento da Amazônia tem queda histórica
Desmatamento da Amazônia tem queda histórica
Brasil e Reino Unido juntos pela conservação e uso sustentável da biodiversidade
Brasil e Reino Unido juntos pela conservação e uso sustentável da biodiversidade
Empresas se unem pela biodiversidade
Empresas se unem pela biodiversidade
Entidades civis e empresas se unem para combater a devastação ambiental e o trabalho escravo na produção de carvão vegetal
Entidades civis e empresas se unem para combater a devastação ambiental e o trabalho escravo na produção de carvão vegetal
Trajetória de Nogueira-Neto lançada na capital federal
Trajetória de Nogueira-Neto lançada na capital federal
Gisele mobiliza as redes sociais para apoio às florestas
Gisele mobiliza as redes sociais para apoio às florestas
Visitantes da ExpoMs fazem teste da pegada ecológica
Visitantes da  ExpoMs fazem teste da pegada ecológica
Dr. Carlos Nobre recebe Prêmio WWF-Brasil Personalidade Ambiental
Dr. Carlos Nobre recebe Prêmio WWF-Brasil Personalidade Ambiental
Orgânicos ajudam a preservar o Cerrado no Distrito Federal
Orgânicos ajudam a preservar o Cerrado no Distrito Federal
Programa Defensores do Clima do WWF-Brasil é lançado oficialmente em São Paulo
Programa Defensores do Clima do WWF-Brasil é lançado oficialmente em São Paulo
Pesquisa mostra opinião dos brasileiros sobre a proposta de "novo código" florestal
Pesquisa mostra opinião dos brasileiros sobre a proposta de "novo código" florestal
Dia da Biodiversidade marca pedidos por ação política urgente
Dia da Biodiversidade marca pedidos por ação política urgente
Em carta ao WWF-Brasil, governo britânico nega que queira privatizar Amazônia
Em carta ao WWF-Brasil, governo britânico nega que queira privatizar Amazônia
WWF-Brasil e governo do Pará fazem parceria
WWF-Brasil e governo do Pará fazem parceria
Estamos ganhando a corrida para conter a perda da biodiversidade?
Estamos ganhando a corrida para conter a perda da biodiversidade?
Em nota oficial, organizações não-governamentais repudiam emendas à MP 366
Em nota oficial, organizações não-governamentais repudiam emendas à MP 366
WWF-Brasil faz balanço positivo da III Feira Brasil Certificado
WWF-Brasil faz balanço positivo da III Feira Brasil Certificado
Marina: pressão popular fará com que Dilma vete mudanças no Código
Marina: pressão popular fará com que Dilma vete mudanças no Código