Aguarde...

Grupo anuncia US$ 3,5 bilhões para conter o desmatamento




O Departamento de Energia e Mudança Climática do Reino Unido anunciou, ontem (17/12), um acordo entre Austrália, França, Japão, Noruega, Reino Unido e Estados Unidos para alocar US$ 3,5 bilhões de dólares, destinados a iniciar o financiamento público de ações com o objetivo de retardar, parar e eventualmente reverter o desmatamento nos países em desenvolvimento.

O anúncio diz que "ações para reduzir as emissões oriundas de florestas podem ajudar a estabilizar o clima, apoiar o meio de subsistência das populações e garantir a conservação da biodiversidade, bem como promover o desenvolvimento econômico”.

Os signatários reconhecem, segundo o documento, o papel significativo do financiamento público internacional no apoio aos países em desenvolvimento, como parte de um acordo ambicioso e abrangente.

“É um esforço para retardar, parar e eventualmente reverter o desmatamento. Foi nisso que pensamos ao fazer a alocação conjunta de US$ 3,5 bilhões de dólares para iniciar o financiamento de planos de Redução das Emissões do Desmatamento e da Degradação Florestal - REDD durante o período de 2010 a 2012”, afirmam os países em sua declaração conjunta.

Para eles, esses recursos são um investimento inicial a ser aplicado nos países em desenvolvimento que coloquem em andamento planos ambiciosos de REDD e que obtenham reduções de emissões florestais, conforme sua própria capacidade.

“Assumimos o compromisso conjunto de aumentar a escala desse financiamento de acordo com as oportunidades e os resultados a serem obtidos”, completa o anúncio, que convida, ainda, outros doadores a se unirem a estes esforços para tornar realidade os primeiros projetos de REDD. Convidamos outros doadores a se unirem a nós nesse esforço para tornar realidade as primeiras providências de REDD."

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, destacou textualmente que “o desmatamento é responsável por quase um quinto das emissões mundiais. Ao armazenarem a poluição global, as florestas das nações tropicais prestam um serviço para o mundo”.

Segundo Brown, é possível que essas florestas estejam irremediavelmente perdidas se ninguém tomar uma atitude. “Tal perda provocaria um impacto no clima mundial e, também, nos meios de subsistência de 90% das 1,2 bilhões de pessoas que vivem na extrema pobreza e que dependem dos recursos florestais para sua sobrevivência”.

O primeiro-ministro acredita que um acordo para retardar, parar e eventualmente reverter o desmatamento precisa ser o ponto focal do resultado a ser alcançado em Copenhague, e que são necessários cerca de US$ 25 bilhões durante o período de 2010 a 2015 para diminuir em 25% os índices de desmatamento nos países em desenvolvimento até 2015. “Os países desenvolvidos devem prover a maior parte desses recursos e apoiar os países tropicais em seus esforços nesse sentido”, disse Gordon Brown.

O dirigente britânico informou também que o Reino Unido contribuirá, em um primeiro momento, com US$ 480 milhões, para garantir um rápido começo. “Eu farei todos os esforços possíveis para fortalecer tal esforço coletivo e trabalhar junto com todas as nações, a fim de alcançar um acordo climático que seja o mais ambicioso", concluiu.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



WWF-BRASIL: discutir hidrelétricas uma a uma é desperdício de energia
WWF-BRASIL: discutir hidrelétricas uma a uma é desperdício de energia
Quotas de pesca para o atum-azul devem ser mantidas até 2015
Quotas de pesca para o atum-azul devem ser mantidas até 2015
Concurso já reúne mais de 250 imagens
Concurso já reúne mais de 250 imagens
Gisele mobiliza as redes sociais para apoio às florestas
Gisele mobiliza as redes sociais para apoio às florestas
Resta salvar o planeta do julgamento da História
Resta salvar o planeta do julgamento da História
Acre apaga as luzes na Hora do Planeta
Acre apaga as luzes na Hora do Planeta
Segunda etapa de expedição tem mais desafios e pode mobilizar descobertas científicas no Amazonas e Mato Grosso
Segunda etapa de expedição tem mais desafios e pode mobilizar descobertas científicas no Amazonas e Mato Grosso
Conheça a nossa Equipe
Conheça a nossa Equipe
Clube Corporativo WWF-Brasil volta a se reunir em SP
Clube Corporativo WWF-Brasil volta a se reunir em SP
Nokia e WWF renovam acordo para garantir negócios ambientalmente sustentáveis
Nokia e WWF renovam acordo para garantir negócios ambientalmente sustentáveis
WWF-Brasil apresenta ações e propostas em Apiacás
WWF-Brasil apresenta ações e propostas em Apiacás
Embaixador das Águas do WWF-Brasil é Campeão Brasileiro de Vela Classe Star
Embaixador das Águas do WWF-Brasil é Campeão Brasileiro de Vela Classe Star
Porto Alegre e mais seis cidades brasileiras aderem à Hora do Planeta
Porto Alegre e mais seis cidades brasileiras aderem à  Hora do Planeta
Funcionários de empresas parceiras do WWF-Brasil assistem a palestras sobre meio ambiente
Funcionários de empresas parceiras do WWF-Brasil assistem a palestras sobre meio ambiente
Novos dados sobre o monitoramento da soja na Amazônia
Novos dados sobre o monitoramento da soja na Amazônia
Rio+20 tem que garantir que o futuro seja sustentável e justo
Rio+20 tem que garantir que o futuro seja sustentável e justo
Reserva Particular do Patrimônio Natural recebe prêmio
Reserva Particular do Patrimônio Natural recebe prêmio
WWF-Brasil convoca para Hora do Planeta 2010
WWF-Brasil convoca para Hora do Planeta 2010
A Hora do Planeta no Brasil
A Hora do Planeta no Brasil
No Parque do Povo, em São Paulo, gerações se unem na luta pelo meio ambiente
No Parque do Povo, em São Paulo, gerações se unem na luta pelo meio ambiente