Aguarde...

Funai conclui estudo sobre terra de guaranis kaiowás do Mato Grosso do Sul


Um estudo contratado pela Fundação Nacional do Índio (Funai) reconheceu como território tradicional indígena uma área de 41,5 mil hectares na cidade de Iguatemi, na região sul de Mato Grosso do Sul, a cerca de 460 quilômetros de Campo Grande.

Um hectare corresponde a dez mil metros quadrados, aproximadamente a área de um campo de futebol de medidas oficiais. Aprovado pela Funai, o resumo do relatório de identificação e delimitação da Terra Indígena Iguatemipegua I, de autoria da antropóloga Alexandra Barbosa da Silva, foi publicado na Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) da última terça-feira (8). 

Segundo o estudo, no local vivem 1.793 índios da etnia Guarani Kaiowá provenientes de dois chamados tekohas (territórios sagrados): Pyelito e Mbarakay. Entre eles, estão os 170 membros da comunidade que, no fim do ano passado, chamaram a atenção da opinião pública ao divulgarem uma carta equivocadamente interpretada como uma ameaça de suicídio coletivo.

“A Terra Indígena Iguatemipegua I é de ocupação tradicional das famílias kaiowá dos tekoha Pyelito e Mbarakay, apresentando as condições ambientais necessárias à realização das atividades dessas mesmas famílias e tendo importância crucial do ponto de vista de seu bem estar e de suas necessidades de reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições”, assinala o documento, que identifica, no interior da área, 46 fazendas pertencentes a não índios e aponta como uma “constatação evidente” a degradação ambiental. “A atividade agropecuária, com base na criação extensiva e na monocultura para comércio e exportação, provocou o quase total desmatamento do cone sul do estado”.

“A publicação do resumo é um passo inicial, mas muito importante para o processo de reconhecimento da terra indígena, já que, neste caso, o grupo de trabalho reconheceu a originalidade do território indígena”, afirmou Cleber Buzatto, secretário executivo do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), à Agência Brasil.

A aprovação e a publicação do resumo são etapas obrigatórias no processo de reconhecimento de terras indígenas. O Decreto 1775, de 1996, estabelece que, depois de a Funai aprovar o relatório, o resumo tem que ser publicado nos diários oficiais da União e da unidade da federação onde se localiza a área em estudo. Feito isso, abre-se um prazo de 90 dias para questionamentos, que podem ser feitos pelas próprias comunidades indígenas, que podem não concordar com a delimitação.

Durante esse período, os não índios que residam na área e futuramente tenham que deixá-la também devem apresentar toda a documentação necessária para comprovar a regularidade da posse de boa-fé, caso julguem ter direito a indenizações. Encerrada essa etapa, a Funai tem 60 dias para entregar o processo ao Ministério da Justiça, responsável por publicar a portaria declarando a área como terra indígena.

Alex Rodrigues, da Agência Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



1,3 bilhão de toneladas de comida são desperdiçadas anualmente
1,3 bilhão de toneladas de comida são desperdiçadas anualmente
Pessoas que moram perto de parques vivem mais felizes
Pessoas que moram perto de parques vivem mais felizes
Sueco desenvolve plataforma flutuante abastecida por energia solar
Sueco desenvolve plataforma flutuante abastecida por energia solar
SOS Mata Atlântica e Cetesb firmam parceria para restauração ambiental
SOS Mata Atlântica e Cetesb firmam parceria para restauração ambiental
Novo modelo de carro elétrico chega a 249 km/h
Novo modelo de carro elétrico chega a 249 km/h
Carregador solar de alta eficiência tem tamanho de uma folha de sulfite
Carregador solar de alta eficiência tem tamanho de uma folha de sulfite
Ação entrega peças de estilistas aos doadores de órgãos na África do Sul
Ação entrega peças de estilistas aos doadores de órgãos na África do Sul
7 dicas para montar um guarda-roupa ecológico
7 dicas para montar um guarda-roupa ecológico
Pesticidas comprometem atividade cerebral de abelhas
Pesticidas comprometem atividade cerebral de abelhas
Iniciativas buscam reduzir o desperdício de alimentos na capital paulista
Iniciativas buscam reduzir o desperdício de alimentos na capital paulista
Norte-americanos criam pen drive de papel
Norte-americanos criam pen drive de papel
Porto Alegre sedia 2º Fórum Mundial da Bicicleta
Porto Alegre sedia 2º Fórum Mundial da Bicicleta
Conheça os principais inimigos das árvores nas zonas urbanas
Conheça os principais inimigos das árvores nas zonas urbanas
Tribo da Indonésia constrói casas em árvores a 35 metros do chão
Tribo da Indonésia constrói casas em árvores a 35 metros do chão
Biólogos e engenheiros se unem para criar planta que brilha no escuro
Biólogos e engenheiros se unem para criar planta que brilha no escuro
Em SP, feira de noivas expõe casamento ecológico
Em SP, feira de noivas expõe casamento ecológico
Projeto "Liberte seus sonhos" incentiva população a revitalizar os muros da cidade
Projeto "Liberte seus sonhos" incentiva população a revitalizar os muros da cidade
Estocolmo pode ter prédio de 34 andares construído em madeira
Estocolmo pode ter prédio de 34 andares construído em madeira
Calça para ciclistas criada na Bulgária pode substituir alforjes
Calça para ciclistas criada na Bulgária pode substituir alforjes
Carregador portátil obtém energia a partir de diversas fontes limpas
Carregador portátil obtém energia a partir de diversas fontes limpas