Aguarde...

Especialistas definem plano de ação para salvar araras-azuis




O primeiro plano de ação para a espécie vai assegurar a manutenção de populações de Arara-Azul-Grande (Anodorhynchus hyacinthinus) na sua área de ocorrência original e reduzir ao máximo o nível de ameaça sobre a espécie. No documento são compiladas todas as informações sobre a espécie, bem como os objetivos, as diretrizes, as prioridades e os prazos para a conservação das araras azuis.

Atividades de campo para a preservação da Arara-Azul-Grande, dados sobre o tráfico nacional e internacional de animais, as análises genéticas, a criação comercial de aves ameaçadas e a incidência dessa espécie na Bolívia foram alguns dos temas discutidos pelo comitê.

A escolha do estado do Mato Grosso do Sul para realização do evento foi motivada pela existência do projeto Arara-Azul, uma referência na conservação da espécie. O projeto, coordenado pela bióloga Neiva Guedes, já instalou 182 ninhos artificiais e monitora um total de 367 ninhos cadastrados em 54 fazendas, localizadas no Pantanal de Aquidauana, de Miranda, de Rio Negro, do Abobral, da Nhecolândia e do Nabileque. O resultado é que desde 1999, o número de araras-azuis subiu de 1.500 para 5.000 no Pantanal.

Segundo Neiva Guedes, o plano de ação será submetido a uma revisão, confecção de mapas, e preparação para publicação, possivelmente no primeiro semestre de 2007.

O Comitê para Conservação e Manejo da Arara-Azul-Grande foi criado em maio de 2003 por meio de portaria do Ibama e congrega pesquisadores e instituições como a Sociedade de Zoológicos do Brasil (SZB) e a Sociedade Brasileira de Ornitologia (SOB), e setores do próprio Ibama como a Coordenação Geral de Fauna, Coordenação de Proteção de Espécies da Fauna e o Centro de Pesquisas para a Conservação das Aves Silvestres.

A arara-azul-grande é considerada o maior psitacídeo do mundo, podendo chegar até um metro de comprimento total do bico à cauda. Destaca-se pela beleza, com uma plumagem azul cobalto em todo o corpo, e sofre com a destruição de seu habitat natural e com a captura ilegal para tráfico de animais silvestres. A espécie ocorre principalmente no Brasil, podendo também ser encontrada no Paraguai e Bolívia.

Desde 1999, o WWF-Brasil apóia a conservação das araras-azuis. . O Projeto Arara Azul é realizado pela Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp), Instituto Arara Azul, Toyota do Brasil e Refúgio Caiman.

O encontro foi realizado no Indaiá Park Hotel de Campo Grande (MS) nos dias 20 e 21 de setembro e contou com o apoio do WWF-Brasil. Na sexta-feira, 22, os membros do Comitê fizeram visita a uma base de campo do Projeto Arara-Azul no R.E.Caiman.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Quotas de pesca para o atum-azul devem ser mantidas até 2015
Quotas de pesca para o atum-azul devem ser mantidas até 2015
Negociações de ABS surpreendem e geram preocupação sobre bom resultado da COP 10
Negociações de ABS surpreendem e geram preocupação sobre bom resultado da COP 10
WWF-Brasil, Greenpeace e SOS Mata Atlântica convidam jornalistas para o workshop sobre Código Florestal
WWF-Brasil, Greenpeace e SOS Mata Atlântica convidam jornalistas para o workshop sobre Código Florestal
Hora do Planeta é celebrada ao redor do mundo
Hora do Planeta é celebrada ao redor do mundo
Pacto pelas nascentes do Pantanal irá abranger 25 municípios
Pacto pelas nascentes do Pantanal irá abranger 25 municípios
WWF apoiará reservas particulares de São Paulo
WWF apoiará reservas particulares de São Paulo
PRIMATAS: Cientistas encontram nova espécie de macaco
PRIMATAS: Cientistas encontram nova espécie de macaco
Relatório da Rede WWF aponta que países do G8 fracassaram no cumprimento de metas para o clima
Relatório da Rede WWF aponta que países do G8 fracassaram no cumprimento de metas para o clima
Um planeta vivo, mas com consumo insustentável
Um planeta vivo, mas com consumo insustentável
Parceiros assinam contrato do Projeto Diálogos
Parceiros assinam contrato do Projeto Diálogos
Balão Panda mais uma vez é destaque no Planeta Atlântida
Balão Panda mais uma vez é destaque no Planeta Atlântida
Clube Corporativo WWF-Brasil se reúne em São Paulo
Clube Corporativo WWF-Brasil se reúne em São Paulo
Ação pelo IR Ecológico realiza debate na FIESP
Ação pelo IR Ecológico realiza debate na FIESP
Relatório sobre soja destaca ameaças e soluções para o meio ambiente
Relatório sobre soja destaca ameaças e soluções para o meio ambiente
Inscrições para prêmio de tecnologia social vão até 22 de julho
Inscrições para prêmio de tecnologia social vão até 22 de julho
WWF-Brasil ganha apoio do restaurante ViaSete
WWF-Brasil ganha apoio do restaurante ViaSete
Congresso trará novidades e possibilidade de negócios no setor de Eficiência e Co-geração de Energia
Congresso trará novidades e possibilidade de negócios no setor de Eficiência e Co-geração de Energia
Seminário discute mosaicos de áreas protegidas no Amazonas
Seminário discute mosaicos de áreas protegidas no Amazonas
Expedição supera expectativas e pode trazer novas contribuições à Ciência
Expedição supera expectativas e pode trazer novas contribuições à Ciência
Publicação sobre a Pegada Ecológica de Campo Grande será lançada na Mostra de Soluções Sustentáveis
Publicação sobre a Pegada Ecológica de Campo Grande será lançada na Mostra de Soluções Sustentáveis