Aguarde...

Esforço conjunto para recuperar o rio Peruaçu




Afluente do rio São Francisco no norte de Minas Gerais e maior curso d´água do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu está secando, pelo uso excessivo de suas águas e pelo assoreamento

por Aldem Bourscheit e Warner Bento Filho*


Um esforço conjunto entre WWF-Brasil, Agência Nacional de Águas, Fundação Banco do Brasil e Banco do Brasil foi consolidado para recuperar o rio Peruaçu, principal afluente do rio São Francisco no norte de Minas Gerais e maior curso d´água do impressionante Parque Nacional Cavernas do Peruaçu.

Dar sobrevida ao combalido rio exigirá ações em todos os municípios tocados por sua bacia hidrográfica – Itacarambi, Januária, Bonito de Minas e Cônego Marinho -, incluindo a difusão de técnicas sustentáveis de produção agropecuária, ampliação do extrativismo e educação ambiental.

“Vamos entrar aqui em uma fase de metamorfose. Todos aqui já perceberam que devemos arrumar uma forma de produzir sem degradar. Isso aqui é nossa fonte e nosso projeto de vida”, comentou o agricultor Mosar Gonçalves de Lima (65) em reportagem do Correio Braziliense (confira no atalho ao lado).

O especialista em conservação do WWF-Brasil, Ricardo Novaes, explica que o alvo principal das ações para recuperação do rio será seu trecho médio, onde vive a maioria das famílias da bacia. Na região, a renda familiar mensal é inferior a R$ 70 por pessoa, e o Peruaçu é a principal fonte de sobrevivência.

“É importante fortalecer a conservação do rio frente às comunidades. Mostrar que, mudando o rumo, é possível uma agricultura sustentável, sem degradar esse rio que ainda tem vida em muitas partes”, disse Novaes.

Os moradores da bacia comentam que a história do rio Peruaçu começou a mudar, para pior, nos anos 1980. Na época, contam, uma leva de máquinas agrícolas aportou em pequenas e médias propriedades, cujos donos mal sabiam operá-las. Plantações de soja desmataram e começaram a drenar as nascentes do manancial. Seguindo o curso do rio, queimadas e mais desmatamento mudaram a paisagem regional.
Conforme o coordenador do Programa Cerrado-Pantanal do WWF-Brasil, Michael Becker, a tragédia anunciada na bacia do Peruaçu poderia ter sido evitada com maior atenção para regiões tão sensíveis e importantes como as nascentes do Peruaçu. O mesmo vale para outras áreas de cabeceira, em todo o Cerrado.

“A bacia está inserida no Mosaico de Unidades de Conservação Sertão Veredas-Peruaçu, criado justamente para que a região tenha um modelo de desenvolvimento mais equilibrado, mais sustentável. Esse espírito integrador e mantenedor das riquezas socioculturais precisa estar presente nas estratégias regionais de crescimento econômico”, ressaltou.

O Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu foi decretado pelo governo federal em abril de 2009, reunindo doze unidades de conservação federais, estaduais e particulares, além de uma terra indígena. São 1,5 milhão de hectares destinados à proteção da natureza distribuídos em onze municípios do norte e noroeste de Minas Gerais e sudoeste da Bahia.

Na região, atuam há anos entidades como a Funatura (Fundação pró-Natureza), Instituto Rosa e Sertão, Cooperativa Grande Sertão, Instituto Sociedade, População e Natureza, Instituto Chico Mendes, Cáritas, Funai, órgãos estaduais de meio ambiente e tantas outras dedicadas à implantação sustentável do Mosaico.

"A parceria entre WWF-Brasil, Agência Nacional de Águas, Fundação Banco do Brasil e Banco do Brasil vem justamente apoiar o esforço dessas entidades", completou Michael Becker.

* com informações do Correio Braziliense


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (3)

Álbum de fotos (3)

Marcadores

Comentários



Amazônia pode virar Cerrado devido ao aquecimento global
Amazônia pode virar Cerrado devido ao aquecimento global
Balão Panda do WWF-Brasil sobrevoa o encontro das águas para alertar sobre prejuízos do desmatamento na Amazônia
Balão Panda do WWF-Brasil sobrevoa o encontro das águas para alertar sobre prejuízos do desmatamento na Amazônia
Autoridades precisam salvar a Rio+20 da falta de ambição
Autoridades precisam salvar a Rio+20 da falta de ambição
Acre: incêndios reforçam importância do programa de certificação ambiental
Acre: incêndios reforçam importância do programa de certificação ambiental
Tapajós: o rio da vez para construção de hidrelétricas
Tapajós: o rio da vez para construção de hidrelétricas
Consórcio Amazoniar lança revista em conferência internacional
Consórcio Amazoniar lança revista em conferência internacional
Rede WWF leva soluções reais ao mundo virtual do Second Life
Rede WWF leva soluções reais ao mundo virtual do Second Life
No Pantanal, professores unidos pela sustentabilidade
No Pantanal, professores unidos pela sustentabilidade
Participantes da Expedição Científica Juruena descrevem dinâmica da pesquisa em campo
Participantes da Expedição Científica Juruena descrevem dinâmica da pesquisa em campo
Brasileiros em defesa das florestas no Dia da Terra
Brasileiros em defesa das florestas no Dia da Terra
WWF-Brasil lança pesquisa de público em seu site
WWF-Brasil lança pesquisa de público em seu site
Novo visual nos 15 anos do WWF-Brasil
Novo visual nos 15 anos do WWF-Brasil
Ministro do Meio Ambiente comenta taxa de desmatamento
Ministro do Meio Ambiente comenta taxa de desmatamento
Áreas protegidas da Amazônia são destaque na programação do WWF-Brasil no CBUC
Áreas protegidas da Amazônia são destaque na programação do WWF-Brasil no CBUC
22 de maio: Brasil celebra a biodiversidade
22 de maio: Brasil celebra a biodiversidade
Bertioga: processo de criação de unidade de conservação caminha para audiência pública
Bertioga: processo de criação de unidade de conservação caminha para audiência pública
XIII Encob reúne 1.800 pessoas no Encontro Maranhense para Governança das Águas
XIII Encob reúne 1.800 pessoas no Encontro Maranhense para Governança das Águas
Descaso com nascentes e rios ameaça o Pantanal
Descaso com nascentes e rios ameaça o Pantanal
Dia Mundial da Água: WWF-Brasil promove ato em defesa das nascentes
Dia Mundial da Água: WWF-Brasil promove ato em defesa das nascentes
WWF-Brasil ajuda organizações comunitárias de Apuí (AM) a captar recursos
WWF-Brasil ajuda organizações comunitárias de Apuí (AM) a captar recursos