Aguarde...

Comitês estaduais reforçam o movimento por um Código Florestal mais justo




Desde a formação, em junho deste ano, do Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, reunindo os mais diversos segmentos sociais e entidades representativas, que o movimento pelo debate do Código Florestal vem se ampliando pelo país.

De lá para cá, os estados estão se organizando também para o lançamento de comitês locais com o objetivo de esclarecer, mais de perto, a população a respeito dos riscos e dos impactos que a reforma - aprovada na Câmara dos Deputados e em curso no Senado Federal – pode ocasionar à biodiversidade e à qualidade de vida nas cidades, inclusive, trazendo retrocesso à legislação brasileira em relação ao desmatamento e à recuperação de áreas degradadas, além de incentivar a cultura da impunidade anistiando multas e crimes ambientais.

O movimento #florestafazadiferença já está formalizado em São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Ceará e Paraná, que fundaram seus comitês com a meta geral de alcançar 1 milhão de assinaturas no país.

Na última sexta-feira (30),  a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, compareceu ao lançamento do Comitê Ceará, em Fortaleza, e torce pelo engajamento social. "Acredito que os cidadãos vão se engajar nesse movimento porque o novo Código Florestal representa um retrocesso para o Brasil. É preciso tirar o cidadão da condição de espectador da política e colocá-lo como protagonista da política", enfatizou Marina.
Em relação ao Ceará, Marina Silva falou que o grande desafio do Estado é proteger os remanescentes de floresta e aliar o desenvolvimento econômico à sustentabilidade. Várias personalidades participaram do evento, dentre elas o secretário municipal de Meio Ambiente, Deodato Ramalho.

No mesmo dia, houve a instalação do Comitê Paraná com a presença do subprocurador Geral da República, Mário José Gisi, do diretor de Políticas Públicas da SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani e do professor de Direito Socioambiental da PUC-PR e Procurador do Estado, Carlos Marés. Eles abordaram, por ângulos diferentes, o PL 30/11 e em comum destacaram que a atual reforma do Código Florestal é prejudicial ao país e a mobilização popular é a única ferramenta que pode evitar sua aprovação.

Marés afirmou, ainda, que a solução para os problemas dos agricultores familiares não está na redução das áreas de Reserva Legal ou de Área de Proteção Permanente. Segundo ele, a reforma agrária na região é o caminho. “Se liberarmos a derrubada da mata ciliar para uso de agricultura, mesmo para os pequenos agricultores, quando essa terra for dividida para os filhos desse agricultor, essa faixa já será insuficiente, o que faremos, então? Secaremos o rio para que esse pequeno agricultor possa plantar em seu curso?”, questionou Marés.

Mário Mantovani, diretor de Políticas Públicas da SOS Mata Atlântica, trouxe experiências de outros comitês pelo Brasil e passou algumas estratégias do Comitê central. Ele reforçou o papel da sociedade civil nesta discussão e disse que tem visto um envolvimento popular que cresce diariamente e que tem sinalizado ter força suficiente para mudar o rumo dos debates no Senado Federal.

E, na próxima segunda-feira (10/10), às 19h, o Museu da República, em Brasília, abre seu auditório para o lançamento oficial do Comitê DF, com as presenças dos deputados Erika Kokay (PT-DF) e José Reguffe (PDT- DF), do advogado ambientalista André Lima, da consultora de meio ambiente e urbanismo da TV Globo, a geógrafa Mônica Veríssimo, do presidente da Comissão de Direito Ambiental da OAB/DF, Getúlio Humberto Barbosa de Sá entre outras personalidades.

O manifesto de lançamento afirma que “é mais do que hora de o país atualizar sua visão de desenvolvimento para incorporar uma visão sustentável em todas as suas dimensões”.

*Com informações: Diário do Nordeste, SOS Mata Atlântica e SOS Florestas Paraná.

Para saber mais sobre os comitês:
Comitê Brasil: (61) 2103.8328 comiteflorestas@gmail.com
Comitê Ceará: (85) 3281 0246 comiteflorestasceara@gmail.com
Comitê Distrito Federal: (61) 8539.4002 e 8142.4282 comiteflorestasdf@gmail.com
Comitê Paraná: (41) 3339.4638 spvs@spvs.org.br


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Terras indígenas e unidades de conservação sob ameaça
Terras indígenas e unidades de conservação sob ameaça
Despedida do Molocopote e problemas no regresso
Despedida do Molocopote e problemas no regresso
Nota de Esclarecimento: Soja Brasileira
Nota de Esclarecimento: Soja Brasileira
CI e WWF-Brasil lançam dicas de turismo sustentável
CI e WWF-Brasil lançam dicas de turismo sustentável
WWF-Tailândia descobre novo recife de peixes raros
WWF-Tailândia descobre novo recife de peixes raros
Mais pressão contra reforma precária do Código Florestal
Mais pressão contra reforma precária do Código Florestal
Desmatamento: WWF-Brasil vê necessidade de maior rigor no controle
Desmatamento: WWF-Brasil vê necessidade de maior rigor no controle
Áreas protegidas: Soluções Naturais para a crise de mudanças climáticas
Áreas protegidas: Soluções Naturais para a crise de mudanças climáticas
São Paulo sedia primeiro Fórum Brasileiro da Água
São Paulo sedia primeiro Fórum Brasileiro da Água
COP8: WWF-Brasil avalia iniciativas para a conservação da biodiversidade no país
COP8: WWF-Brasil avalia iniciativas para a conservação da biodiversidade no país
Nova ferramenta pode evitar conflitos na construção de hidrelétricas
Nova ferramenta pode evitar conflitos na construção de hidrelétricas
RPPN do Mato Grosso do Sul recebe prêmio de turismo
RPPN do Mato Grosso do Sul recebe prêmio de turismo
WWF-Brasil promove curso de manejo florestal madeireiro em Apuí (AM)
WWF-Brasil promove curso de manejo florestal madeireiro em Apuí (AM)
Inscrições para o concurso de foto e vídeo do WWF-Brasil na reta final
Inscrições para o concurso de foto e vídeo do WWF-Brasil na reta final
Florestas ardem em todo o país
Florestas ardem em todo o país
Correios do Brasil e da França lançam selos com temas ambientais
Correios do Brasil e da França lançam selos com temas ambientais
Presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil encontra Al Gore
Presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil encontra Al Gore
Estudo aponta menor cobertura vegetal no planalto da Bacia do Alto Paraguai
Estudo aponta menor cobertura vegetal no planalto da Bacia do Alto Paraguai
Resultado de Cancún viabiliza acordo global
Resultado de Cancún viabiliza acordo global
Oficina mapeia cadeia produtiva do açaí
Oficina mapeia cadeia produtiva do açaí