Aguarde...

Certificação FSC ganha força na indústria da construção




Bruno Taitson, de Atibaia (SP)

Frequentemente, arquitetos e engenheiros comprometidos com a sustentabilidade se queixam da falta de oferta de produtos com a certificação do Conselho de Manejo Florestal (FSC) para a construção de casas e edifícios. Embora o mercado da certificação esteja em crescimento no Brasil e no mundo, nem sempre é possível encontrar produtos com o selo do FSC em depósitos e lojas do ramo. No caso dos telhados, esta realidade está mudando.

A Tégula, empresa brasileira instalada no município de Atibaia (SP), que produz telhas de concreto, aquecedores e painéis solares, é a primeira empresa do país a disponibilizar estruturas para telhados (caibros, vigas, ripas, pilares, tabeiras e forros) confeccionadas com madeira certificada pelo Conselho de Manejo Florestal. Isso significa que o processo produtivo – com matéria-prima advinda de florestas manejadas do Pará – obedece a rigorosos padrões de sustentabilidade socioambiental.

Ao especificar para uma obra estruturas para telhado da Tégula, o arquiteto ou engenheiro sabe que a extração da madeira não agride as florestas e é feita por empresas que cumprem a legislação ambiental e trabalhista, contribuindo para o desenvolvimento sustentável de comunidades amazônicas. Enfim, o processo é sustentável em todos os elos da cadeia produtiva. Além disso, é importante ressaltar que a estrutura do telhado responde por cerca de 3% dos custos totais de uma construção, o que torna a opção pelo produto certificado algo viável também do ponto de vista financeiro.

Para Mauro Armelin, coordenador do programa Amazônia do WWF-Brasil, é fundamental que a sociedade passe a demandar mais esse tipo de produto, estimulando o setor produtivo a optar pela sustentabilidade. “Empresas ambientalmente responsáveis, que optam pela certificação, precisam ser reconhecidas pelos consumidores. A Rede WWF, em todo o planeta, estimula a certificação FSC por acreditar nos negócios que conciliem conservação da natureza, qualidade de vida para comunidades e viabilidade econômica”, resume.

Ainda de acordo com Mauro Armelin, é importante que a sociedade brasileira tenha conhecimento de que há oferta de produtos certificados de qualidade a preços acessíveis. “É muito comum escutarmos que não existe produto certificado disponível no mercado brasileiro. Em algumas situações, isso é verdadeiro, mas a indústria nacional tem evoluído bastante nesse quesito e já oferece uma gama muito maior de itens com o selo FSC”, assegura o coordenador.

Além das estruturas para telhados, a Tégula também trabalha com as telhas de concreto, que são mais sustentáveis por terem maior durabilidade e resistência. Com sete fábricas localizadas nos estados de São Paulo (3), Goiás, Bahia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a Tégula faz parte do Green Building Council, possui sistemas de aquecimento solar e captação de água de chuva em suas unidades produtivas. “A sustentabilidade está incorporada em nosso DNA”, orgulha-se Eduardo Carneiro, supervisor de desenvolvimento de produtos da empresa.

As espécies madeireiras utilizadas pela Tégula para estruturas de telhado são copiúba, cambará, pequiá e cedrinho. A matéria-prima provém de florestas manejadas sob coordenação da empresa Orsa Florestal.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (3)

Álbum de fotos (3)

Marcadores

Comentários



Música clássica para defender a Amazônia
Música clássica para defender a Amazônia
Carnívoro misterioso descoberto em Bornéu
Carnívoro misterioso descoberto em Bornéu
Visitantes da ExpoMs fazem teste da pegada ecológica
Visitantes da  ExpoMs fazem teste da pegada ecológica
Aproveitamento de frutos estimula a conservação do cerrado
Aproveitamento de frutos estimula a conservação do cerrado
Comitê da Bacia do Rio Miranda (MS) recebe recursos do Governo Federal para revitalização
Comitê da Bacia do Rio Miranda (MS) recebe recursos do Governo Federal para revitalização
Declaração das ONGs
Declaração das ONGs
WWF-Brasil apóia criação de novas unidades de conservação no Pará
WWF-Brasil apóia criação de novas unidades de conservação no Pará
Projetos de conservação da onça-pintada no Pantanal buscam envolver pecuaristas
Projetos de conservação da onça-pintada no Pantanal buscam envolver pecuaristas
Campo Grande será a primeira cidade brasileira a desenvolver a Pegada Ecológica
Campo Grande será a primeira cidade brasileira a desenvolver a Pegada Ecológica
Sob a sombra do Código Florestal, Frente Parlamentar Ambientalista dá início a ciclo de palestras sobre a Rio +20
Sob a sombra do Código Florestal, Frente Parlamentar Ambientalista dá início a ciclo de palestras sobre a Rio +20
Presidente emérito do WWF-Brasil recebe prêmio
Presidente emérito do WWF-Brasil recebe prêmio
Impasse na Juréia precisa de solução pacífica
Impasse na Juréia precisa de solução pacífica
Texto do Código é aprovado por comissões em meio a violência contra estudantes
Texto do Código é aprovado por comissões em meio a violência contra estudantes
Bacias hidrográficas e as cartas na mesa: como contornar conflitos
Bacias hidrográficas e as cartas na mesa: como contornar conflitos
Oito capitais do País e, no total, 41 cidades confirmadas até agora na Hora do Planeta 2012
Oito capitais do País e, no total, 41 cidades confirmadas até agora na Hora do Planeta 2012
WWF-Brasil reúne afiliados e convidados no SPFW
WWF-Brasil reúne afiliados e convidados no SPFW
É possível expandir a produção agrícola sem desmatar a Amazônia e o Cerrado
É possível expandir a produção agrícola sem desmatar a Amazônia e o Cerrado
Campanha do Passaporte Panda sobre energia termina com sucesso
Campanha do Passaporte Panda sobre energia termina com sucesso
WWF-Brasil lança publicação voltada para madeira legal
WWF-Brasil lança publicação voltada para madeira legal
Marcha abre atividades do Fórum Social
Marcha abre atividades do Fórum Social