Aguarde...

ARTIGO: Um Código para o desenvolvimento sustentável




Artigo
Por Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza e Warner Bento Filho


A reforma do Código Florestal dá ao Senado Federal uma excelente oportunidade: a de ajudar o Brasil na construção de um modelo de desenvolvimento sustentável, de baixo carbono, baseado no manejo de nossas florestas e de nossa biodiversidade. Nenhum outro país no mundo tem o potencial que temos para desenvolver uma economia verde a partir daquela que é a nossa maior riqueza: nossos recursos naturais.

A quem interessa que continuemos a trocar nossas florestas por uma agropecuária do passado, marcada pela baixa produtividade e por grandes impactos ambientais? Este é um modelo que, na verdade, empobrece e resulta em prejuízos ao país. Seja delapidando nossos recursos naturais, através da erosão de solos férteis e da contaminação das águas, seja pela perda de serviços ambientais.

Mais que isso, é um modelo que traz imensos prejuízos à saúde da população. Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso realizada no município de Lucas do Rio Verde, região que lidera a produção de soja no país, mostra que lá 100% do leite materno está contaminado com pelo menos um tipo de agrotóxico. Lucas do Rio Verde, que tem 22 mil habitantes, consumiu, na safra 2009/2010, 5 milhões de litros de veneno, o que dá cerca de 230 litros para cada habitante. 

O que o país ganha exportando produtos que deixam, em troca, uma população envenenada? Com certeza, isso não interessa ao povo brasileiro. E tampouco interessa aos mercados mundiais, que tendem a preferir, cada vez mais, produtos obtidos de maneira sustentável. 

Para garantir a manutenção de nossos recursos naturais e de nossa biodiversidade, o Senado precisa incluir no debate do Código Florestal o pagamento por serviços ambientais, que já é realidade para agricultores em diversos programas desenvolvidos no país, inclusive com o apoio do WWF-Brasil. As florestas não devem ser um estorvo na propriedade, mas um aliado da produção, ajudando a manter a oferta e a qualidade da água, provendo abrigo a polinizadores e possibilitando, ainda, a extração de fibras, óleos, frutas e outros produtos. As reservas legais não são intocáveis. Elas podem e devem ser manejadas de maneira a diversificar a renda do produtor. E elas ainda podem ocupar as áreas com baixo potencial agrícola, aquela parte da propriedade que não se presta para a produção.

Cabe agora às lideranças modernas da sociedade brasileira, à presidente Dilma Roussef e ao governo federal convencerem os parlamentares a fazerem as alterações necessárias para termos uma reforma que aponte para uma agricultura sustentável, com ganhos para agricultores, consumidores e a sociedade em geral.

O que precisa ficar claro é que não é brigando com a natureza e com as florestas que o país conseguirá produzir, exportar alimentos e manter seu meio ambiente equilibrado, como estabelece, aliás, a nossa Constituição. A produção agrícola depende diretamente da manutenção das florestas, responsáveis pelo solo, pela água e pelo clima de que precisamos para plantar e colher. 


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Porto Alegre e mais seis cidades brasileiras aderem à Hora do Planeta
Porto Alegre e mais seis cidades brasileiras aderem à  Hora do Planeta
Hora do Planeta 2012 convoca brasileiros a mostrarem sua preocupação com o meio ambiente e refletirem sobre os efeitos de suas ações no mundo
Hora do Planeta 2012 convoca brasileiros a mostrarem sua preocupação com o meio ambiente e refletirem sobre os efeitos de suas ações no mundo
Ministro do Meio Ambiente comenta taxa de desmatamento
Ministro do Meio Ambiente comenta taxa de desmatamento
Informações sobre mamíferos são indicadores de processos ambientais
Informações sobre mamíferos são indicadores de processos ambientais
VI Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação
VI Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação
ONGs lançam iniciativa inédita pelo fim do desmatamento na Amazônia
ONGs lançam iniciativa inédita pelo fim do desmatamento na Amazônia
Abertas as inscrições para a Bolsa Prince Bernhard
Abertas as inscrições para a Bolsa Prince Bernhard
Efeito estufa preocupa empresas do setor financeiro
Efeito estufa preocupa empresas do setor financeiro
Pescando sucesso
Pescando sucesso
Indígenas de nove países amazônicos aprovam a "Carta de Manaus"
Indígenas de nove países amazônicos aprovam a "Carta de Manaus"
Tendência de queda no desmate do Cerrado
Tendência de queda no desmate do Cerrado
Já estamos na região amazônica
Já estamos na região amazônica
Capacitação em favor da conservação ambiental
Capacitação em favor da conservação ambiental
Parna Montanhas do Tumucumaque abre concurso para escolha de marca
Parna Montanhas do Tumucumaque abre concurso para escolha de marca
Estudo mostra importância de áreas protegidas na redução de emissões
Estudo mostra importância de áreas protegidas na redução de emissões
Gestão das Águas: Consórcio Lagos-São João vira Agência da região dos Lagos, no RJ
Gestão das Águas: Consórcio Lagos-São João vira Agência da região dos Lagos, no RJ
Pouco avanço na distancia, mas belas paisagens
Pouco avanço na distancia, mas belas paisagens
Relatório do WWF mostra por que salvar a natureza é salvar pessoas
Relatório do WWF mostra por que salvar a natureza é salvar pessoas
Megaoperação de fiscalização de madeira ilegal em SP aplica R$ 2,2 mi em multas
Megaoperação de fiscalização de madeira ilegal em SP aplica R$ 2,2 mi em multas
Capoeira na luta contra as mudanças climáticas
Capoeira na luta contra as mudanças climáticas