Aguarde...

ARTIGO: Um Código para o desenvolvimento sustentável




Artigo
Por Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza e Warner Bento Filho


A reforma do Código Florestal dá ao Senado Federal uma excelente oportunidade: a de ajudar o Brasil na construção de um modelo de desenvolvimento sustentável, de baixo carbono, baseado no manejo de nossas florestas e de nossa biodiversidade. Nenhum outro país no mundo tem o potencial que temos para desenvolver uma economia verde a partir daquela que é a nossa maior riqueza: nossos recursos naturais.

A quem interessa que continuemos a trocar nossas florestas por uma agropecuária do passado, marcada pela baixa produtividade e por grandes impactos ambientais? Este é um modelo que, na verdade, empobrece e resulta em prejuízos ao país. Seja delapidando nossos recursos naturais, através da erosão de solos férteis e da contaminação das águas, seja pela perda de serviços ambientais.

Mais que isso, é um modelo que traz imensos prejuízos à saúde da população. Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso realizada no município de Lucas do Rio Verde, região que lidera a produção de soja no país, mostra que lá 100% do leite materno está contaminado com pelo menos um tipo de agrotóxico. Lucas do Rio Verde, que tem 22 mil habitantes, consumiu, na safra 2009/2010, 5 milhões de litros de veneno, o que dá cerca de 230 litros para cada habitante. 

O que o país ganha exportando produtos que deixam, em troca, uma população envenenada? Com certeza, isso não interessa ao povo brasileiro. E tampouco interessa aos mercados mundiais, que tendem a preferir, cada vez mais, produtos obtidos de maneira sustentável. 

Para garantir a manutenção de nossos recursos naturais e de nossa biodiversidade, o Senado precisa incluir no debate do Código Florestal o pagamento por serviços ambientais, que já é realidade para agricultores em diversos programas desenvolvidos no país, inclusive com o apoio do WWF-Brasil. As florestas não devem ser um estorvo na propriedade, mas um aliado da produção, ajudando a manter a oferta e a qualidade da água, provendo abrigo a polinizadores e possibilitando, ainda, a extração de fibras, óleos, frutas e outros produtos. As reservas legais não são intocáveis. Elas podem e devem ser manejadas de maneira a diversificar a renda do produtor. E elas ainda podem ocupar as áreas com baixo potencial agrícola, aquela parte da propriedade que não se presta para a produção.

Cabe agora às lideranças modernas da sociedade brasileira, à presidente Dilma Roussef e ao governo federal convencerem os parlamentares a fazerem as alterações necessárias para termos uma reforma que aponte para uma agricultura sustentável, com ganhos para agricultores, consumidores e a sociedade em geral.

O que precisa ficar claro é que não é brigando com a natureza e com as florestas que o país conseguirá produzir, exportar alimentos e manter seu meio ambiente equilibrado, como estabelece, aliás, a nossa Constituição. A produção agrícola depende diretamente da manutenção das florestas, responsáveis pelo solo, pela água e pelo clima de que precisamos para plantar e colher. 


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Em Tefé (AM), conselheiros comunitários do rio Solimões trocam experiências
Em Tefé (AM), conselheiros comunitários do rio Solimões trocam experiências
Código Florestal aprovado ameaça produção de açaí na Amazônia
Código Florestal aprovado ameaça produção de açaí na Amazônia
Desmatamento da Amazônia tem queda histórica
Desmatamento da Amazônia tem queda histórica
Dilma recebe 2 milhões de assinaturas pelo veto integral
Dilma recebe 2 milhões de assinaturas pelo veto integral
Unidades de conservação: conhecer para cuidar
Unidades de conservação: conhecer para cuidar
Bob Burnquist dá seu recado contra o aquecimento global
Bob Burnquist dá seu recado contra o aquecimento global
Ministério do Meio Ambiente comenta desmatamento na Amazônia
Ministério do Meio Ambiente comenta desmatamento na Amazônia
Ação do WWF-Brasil contra o desmatamento ganha prêmio internacional de publicidade
Ação do WWF-Brasil contra o desmatamento ganha prêmio internacional de publicidade
Contribuição do Arpa para o desenvolvimento do Brasil é reconhecida nos EUA
Contribuição do Arpa para o desenvolvimento do Brasil é reconhecida nos EUA
WWF-Brasil participa como jurado da final brasileira da Imagine Cup 2008
WWF-Brasil participa como jurado da final brasileira da Imagine Cup 2008
Workshop debate gestão estratégica de recursos hídricos, em Brasília
Workshop debate gestão estratégica de recursos hídricos, em Brasília
Nota do Comitê Brasil pede veto total ao Código Florestal
Nota do Comitê Brasil pede veto total ao Código Florestal
2012, um ano de resultados para o Água Brasil
2012, um ano de resultados para o Água Brasil
Harpia pode carregar um animal de até dez quilos
Harpia pode carregar um animal de até dez quilos
Setor privado se engaja na conservação da biodiversidade
Setor privado se engaja na conservação da biodiversidade
Coração de Bornéu renova uma esperança de uma das áreas mais ricas em biodiversidade do mundo
Coração de Bornéu renova uma esperança de uma das áreas mais ricas em biodiversidade do mundo
Ambiente amistoso, mas com poucos avanços nas negociações de clima
Ambiente amistoso, mas com poucos avanços nas negociações de clima
Quotas de pesca para o atum-azul devem ser mantidas até 2015
Quotas de pesca para o atum-azul devem ser mantidas até 2015
Sony reduzirá emissões de gás carbônico graças a acordo com a Rede WWF
Sony reduzirá emissões de gás carbônico graças a acordo com a Rede WWF
É possível produzir e conservar no Cerrado
É possível produzir e conservar no Cerrado