Aguarde...

Acre - Economia de base florestal aumenta renda familiar e conserva florestas




Uso racional de recursos naturais proporciona ganhos recordes para comunidades e reduz desmatamento

Bruno Taitson, de Xapuri (AC)

Valciclei da Silva, 20 anos, habitante do Seringal Equador, exibe com orgulho sua mais nova aquisição: uma motocicleta zero quilômetro, comprada em outubro de 2009. O veículo, que antes parecia um sonho distante, tornou-se realidade graças à renda obtida a partir do manejo florestal. Produtos como madeira, borracha e castanha-do-Brasil, que contribuem para conservar a biodiversidade, têm proporcionado, depois de muitos anos, bons preços aos produtores que moram na floresta.

Com a venda da madiera da seringa e da castanha, a vida de toda a comunidade já melhorou muito. O pessoal está comprando motos, eletrônicos, roupas e melhorando a casa, relata Valciclei, que nasceu em Xapuri. Ele mora com a mãe e a irmã e é responsável por sustentar a casa.

Dados da Secretaria Estadual de Florestas do Acre (SEF) demonstram que o manejo florestal feito a partir de parcerias entre comunidades, empresas, governo e organizações não-governamentais tem gerado resultados positivos: a renda média anual de uma família acreana da área rural, que variava entre R$ 1,2 mil e R$ 3 mil, tem subido para valores entre R$ 4 mil e R$ 6,5 mil/ano com as atividades de manejo.

Certificação FSC

No Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) do Cachoeira, na região de Xapuri, a madeira extraída pela comunidade tem um importante diferencial: a certificação FSC (Conselho de Manejo Florestal). O selo comprova que a produção acontece em conformidade com a legislação trabalhista e fiscal, além de seguir rigorosos padrões sociais e ambientais.

A certificação FSC do PAE Cachoeira aconteceu em 2002, com apoio direto do WWF-Brasil, que contribuiu para criar a Cooperfloresta, cooperativa que organiza a produção local e estabelece relações de mercado para a venda da produção.

Iniciativa privada

Empresas privadas instaladas no Acre se tornaram os principais compradores da madeira produzida de forma sustentável pelas comunidades. A Laminados Triunfo, que opera no estado desde 2003, é o principal destino da produção madeireira comunitária no Acre.

Outro importante comprador da madeira certificada comunitária no Acre é a fábrica de pisos de madeira, construída pelo governo estadual e operada pelas empresas Triunfo, Ouro Verde e Albuquerque, que adquirem a madeira de comunidades. Trata-se de uma modalidade que combina poder público, iniciativa privada e base comunitária.

Segundo Mauro Armelin, coordenador do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável do WWF-Brasil, os resultados positivos no Acre demonstram que o manejo pode gerar mais renda que as práticas predatórias da floresta e que os usos tradicionais agrícolas.


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (4)

Álbum de fotos (4)

Marcadores

Comentários



Acre preparado para a Hora do Planeta 2010
Acre preparado para a Hora do Planeta 2010
Salvador é o destino final da Exposição Água para a Vida, Água para Todos
Salvador é o destino final da Exposição Água para a Vida, Água para Todos
Ribeirinho amazônico ameaçado de morte pede proteção ao governo federal
Ribeirinho amazônico ameaçado de morte pede proteção ao governo federal
Já estamos na região amazônica
Já estamos na região amazônica
WWF-Brasil e AES Eletropaulo assinam acordo pela conservação da Amazônia
WWF-Brasil e AES Eletropaulo assinam acordo pela conservação da Amazônia
Clima precisa de mais peso na agenda política
Clima precisa de mais peso na agenda política
Redescubra o Cerrado no metrô de São Paulo
Redescubra o Cerrado no metrô de São Paulo
Curiosidades da Hora do Planeta
Curiosidades da Hora do Planeta
Retrato da Amazônia
Retrato da Amazônia
Consumidor desconhece a carne orgânica
Consumidor desconhece a carne orgânica
WWF-Brasil apóia fortalecimento de instrumentos de gestão de áreas protegidas e de licenciamento
WWF-Brasil apóia fortalecimento de instrumentos de gestão de áreas protegidas e de licenciamento
Um mundo com energia limpa é possível, em 2050
Um mundo com energia limpa é possível, em 2050
Gestão de áreas protegidas em debate
Gestão de áreas protegidas em debate
WWF-Brasil lança Hora do Planeta 2010
WWF-Brasil lança Hora do Planeta 2010
Exposição sobre recursos hídricos segue viagem para COP8 em Curitiba
Exposição sobre recursos hídricos segue viagem para COP8 em Curitiba
IR Ecológico será debatido em Manaus
IR Ecológico será debatido em Manaus
Selecionadas as cidades piloto que vão receber programa de práticas sustentáveis
Selecionadas as cidades piloto que vão receber programa de práticas sustentáveis
A lição de Santa Catarina
A lição de Santa Catarina
ONGs entregam estudo sobre o Pantanal ao governador do Mato Grosso do Sul
ONGs entregam estudo sobre o Pantanal ao governador do Mato Grosso do Sul
Criada entidade para produzir soja com responsabilidade
Criada entidade para produzir soja com responsabilidade