Aguarde...

5 de junho: lute pelo meio ambiente




A legislação ambiental e os recursos naturais brasileiros estão sob novo ataque, mais uma vez protagonizado por setores que colocam seus interesses à frente do desenvolvimento sustentável do país.

O cenário é de desmatamento e violência em alta, megaobras que ameaçam a biodiversidade e culturas tradicionais e política na contramão de um planeta que enfrenta as mudanças do clima.

Por tudo isso, este Dia Mundial do Meio Ambiente1 é o momento de renovar o engajamento e a luta contra modelos ultrapassados de desenvolvimento e retrocessos que custarão caro ao futuro do Brasil. É tempo de ação.

Demonstre sua contrariedade com os rumos da política nacional pendurando tecidos pretos nas janelas e sacadas, carregue bandeiras, amarre faixas em seu braço. Proteste e aja pela conservação, recuperação e bom uso de nossas riquezas naturais. Veja o que você pode fazer.

Uma das maiores ameaças de retrocesso é o Projeto de Lei 1876/1999, a proposta ruralista para reformas do Código Florestal. Entidades civis ligadas ao movimento SOS Florestas se debruçaram sobre o relatório do deputado federal comunista Aldo Rebelo (SP) e concluíram que o projeto de reforma representa grave ameaça às florestas e a própria agropecuária brasileiras.  O Código Florestal em vigor é uma Lei do Futuro, na medida em que protege a produção agrícola, as fontes de água e a megadiversidade brasileira por meio dos serviços ecológicos prestados pelas áreas de proteção permanente (APPs) e pelas reservas legais (RL).

A proposta aprovada na Câmara dos Deputados em 24 de maio e agora em análise pelo Senado Federal  incentiva o desmatamento em todo o país, dribla a necessária recuperação de áreas degradadas, anistia desmatadores ilegais, retira a proteção de manguezais, veredas e outras áreas protegidas, reduz a proteção de rios, córregos e outros cursos d´água e reduz a necessidade de florestas em propriedades rurais na Amazônia.

Também repassa a estados e municípios o direito de autorizar desmates, não incorpora novos instrumentos de promoção à recuperação e conservação ambiental, prejudica metas nacionais de proteção da biodiversidade e de redução de emissões e, ainda, ameaça as exportações para mercados globalizados e cada vez mais exigentes de itens produzidos com sustentabilidade. Veja aqui mais informações.

Antes de alcançar o escaninho da Presidência da República, onde a legislação poderá ser total ou parcialmente vetada, há chances de que receba melhorias no Senado, onde Jorge Viana (PT/AC) será o relator do texto na Comissão de Meio Ambiente. O projeto será relatado nas comissões de Agricultura e de Constituição e Justiça pelo senador Luiz Henrique (PMDB-SC).

Comunidade científica, produtores rurais de todos os portes, sociedade civil e entidades ambientalistas têm exposto claramente sua contrariedade ao texto ruralista e propõem debates ampliados e democráticos sobre as necessárias melhorias no Código Florestal. Alterar a legislação sem a devida cautela põe em jogo a sustentabilidade de setores estratégicos para o país.

Além disso, as alterações na lei dedicada a garantir um bom uso das florestas têm total interdependência com outros avanços que o Brasil tem registrado nos últimos anos, como ampliação da área protegida em unidades de conservação, redução das taxas anuais de desmatamento, manutenção de uma matriz energética renovável e o encaminhamento de políticas voltadas ao pagamento por serviços ambientais.




1)    O 5 de junho é dia mundial dedicado ao meio ambiente desde 1972, quando foi aberta a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, em Estocolmo (Suécia).


Fonte: WWF - Brasil


Álbum (1)

Álbum de fotos (1)

Marcadores

Comentários



Imagens do Pantanal
Imagens do Pantanal
Impactos das mudanças climáticas na Amazônia podem inviabilizar Belo Monte
Impactos das mudanças climáticas na Amazônia podem inviabilizar Belo Monte
Mudanças climáticas: cientistas destacam a falta de capacitação de jornalistas
Mudanças climáticas: cientistas destacam a falta de capacitação de jornalistas
A CDB e o clima
A CDB e o clima
Um Globo do Povo em Copenhague
Um Globo do Povo em Copenhague
Os desafios da gestão do maior parque nacional do Brasil
Os desafios da gestão do maior parque nacional do Brasil
Panda retoma parceria com Associação Mico Leão Dourado
Panda retoma parceria com Associação Mico Leão Dourado
Presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil encontra Al Gore
Presidente do Conselho Diretor do WWF-Brasil encontra Al Gore
Ivan, um aliado na proteção do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque
Ivan, um aliado na proteção do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque
Mobilização para deter as mudanças climáticas
Mobilização para deter as mudanças climáticas
Artistas começam a se juntar ao movimento, no Brasil. Ouça na rádio!
Artistas começam a se juntar ao movimento, no Brasil. Ouça na rádio!
Programa Madeira é Legal mostra resultados
Programa Madeira é Legal mostra resultados
França-Brasil: a corrida do ouro e a necessidade de cooperação
França-Brasil: a corrida do ouro e a necessidade de cooperação
Pequenos produtores rurais participam de curso para preservar o cerrado e aumentar renda
Pequenos produtores rurais participam de curso para preservar o cerrado e aumentar renda
WWF-Brasil promove Seminário de Atualização sobre Biodiversidade
WWF-Brasil promove Seminário de Atualização sobre Biodiversidade
Evento discutirá caminhos para o desenvolvimento sustentável
Evento discutirá caminhos para o desenvolvimento sustentável
Arpa, Amazônia Meridional e Rappam são os temas do WWF-Brasil no 2º dia do CBUC
Arpa, Amazônia Meridional e Rappam são os temas do WWF-Brasil no 2º  dia do CBUC
Ruralistas aprovam relatório e prometem mais retrocessos
Ruralistas aprovam relatório e prometem mais retrocessos
A Hora do Planeta em Brasília uniu música, esporte e consciência ambiental
A Hora do Planeta em Brasília uniu música, esporte e consciência ambiental
Redes sociais se conectam durante audiência pública no Senado
Redes sociais se conectam durante audiência pública no Senado